Tempo
|
A+ / A-

Chefe da diplomacia da UE critica queima do Alcorão na Suécia e Dinamarca

26 jul, 2023 - 10:29 • Redação

Na UE, "o respeito pela diversidade é um valor fundamental”, afirma Josep Borrell, numa altura em que prosseguem os eventos organizados por manifestantes anti-islâmicos na Suécia e Dinamarca.

A+ / A-

O chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Josep Borrell, criticou esta quarta-feira os recentes episódios de queima de exemplares do Alcorão por manifestantes anti-islâmicos na Dinamarca e na Suécia, falando em atos "xenófobos" e "racistas".

“A profanação do Alcorão, ou de qualquer outro livro considerado sagrado, é ofensiva, desrespeitosa e uma clara provocação. Expressões de racismo, xenofobia e formas de intolerância não têm lugar na União Europeia", avança o dirigente em comunicado.

Ecoando as críticas feitas pelo Papa Francisco, Borrell relembra que a "diversidade é um valor fundamental da UE” que exige “respeito por outras comunidades religiosas".

“Nem tudo o que é legal é ético”, sublinha o representante da UE para os Negócios Estrangeiros, invocando o facto de este terem sido protestos autorizados pelos Governos dos dois países.

O também vice-presidente da Comissão Europeia considera que "estes atos, cometidos por provocadores individuais, só beneficiam aqueles que querem dividir as sociedades".

Os eventos foram organizados por um grupo que se autodenomina Patriotas Dinamarqueses. O mais recente, realizou-se esta terça-feira, em Copenhaga, em frente à embaixada egípcia.

É a terceira vez que um incidente desta natureza ocorre na capital dinamarquesa na última semana. No dia anterior, o mesmo grupo tinha queimado uma cópia do Alcorão em frente à embaixada do Iraque, o que gerou fortes tensões diplomáticas e desordem em Bagdade.

Da mesma forma, na Suécia, cópias do Alcorão, o livro sagrado dos muçulmanos, também foram queimadas, fazendo subir ainda mais as tensões. Em Bagdade, capital do Iraque, um grupo de manifestantes entrou violentamente na embaixada sueca na última quinta-feira e incendiou-a.

Horas depois, o Governo iraquiano expulsou o embaixador sueco do país.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+