A+ / A-

Paris. Grande maioria dos moradores votou para banir trotinetes elétricas

03 abr, 2023 - 00:00 • Redação

Referendo reuniu quase 90% de votos desfavoráveis às trotinetes de aluguer. Apesar do caráter não-vinculativo da consulta, o resultado será submetido a avaliação da Câmara de Paris.

A+ / A-

Os parisienses foram chamados a pronunciar-se, este domingo, sobre o futuro das trotinetes elétricas na cidade e a resposta que deram não deixou margem para dúvidas: 89% votaram no sentido de proibir estes veículos.

Milhares de moradores fizeram questão de participar na consulta. Em alguns pontos dos 20 distritos eleitorais da cidade chegaram mesmo a existir longas filas para votar.

De acordo com o site oficial do município parisiense, votaram mais de 103 mil parisienses. Cerca de 89% - ou seja, mais de 91 mil pessoas - votou contra a utilização das trotinetes elétricas. Só 11% votou a favor.

Apesar de a votação ser apenas consultiva, o resultado será submetido para avaliação da Câmara de Paris.

Tal como em Portugal, as trotinetes elétricas, que chegaram ao país em 2018, têm sido alvo de polémica em França, devido a acidentes e comportamentos de risco de alguns utilizadores.

Segundo o jornal The Guardian, em 2022, Paris registou três mortes e 459 feridos em acidentes relacionados com este meio de mobilidade ligeira.

Em janeiro, a presidente da Câmara da capital francesa, Anne Hidalgo, em declarações ao "Le Parisien", justificou a votação com o facto de o regime de "free flot" – utilizar e estacionar em qualquer lado – destes veículos ter dado origem a problemas na cidade.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+