A+ / A-

Turquia avança com ratificação da adesão da Finlândia à NATO

17 mar, 2023 - 15:27 • Cristina Nascimento com agências

Já sobre o pedido de adesão da Suécia, Erdogan afirmou que a Turquia vai continuar as conversações com aquele país sobre questões relacionadas com terrorismo.

A+ / A-

O presidente turco Recep Tayyip Erdogan anunciou esta sexta-feira que a Turquia vai iniciar o processo de ratificação da proposta de adesão da Finlândia à NATO. A revelação foi feita na conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo finlandês, Sauli Niinistö, em Ancara, na Turquia.

Já sobre o pedido de adesão da Suécia, Erdogan afirmou que a Turquia vai continuar as conversações com aquele país sobre questões relacionadas com terrorismo.

De acordo com a agência Reuters, Erdogan aludiu a uma lista com os nomes de 120 alegados terroristas entregue às autoridades suecas que a Turquia queria ver repatriados, mas tal não aconteceu.

Erdogan disse ainda esperar que o processo seja concluído antes das eleições de maio.

O processo de entrada de um país na NATO é feito com a concordância de todos os membros da Aliança Atlântica. Desde o ano passado, a Turquia mostrou reservas aos pedidos de adesão finlandês e sueco.

A Suécia e a Finlândia prescindiram da sua tradicional política de não-alinhamento militar e pediram a adesão à Aliança Atlântica na sequência da invasão da Ucrânia pela Rússia em fevereiro de 2022.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Digo
    18 mar, 2023 Eu 14:43
    A regra da unanimidade tem estes problemas: pode defender em parte os Países pequenos das arbitrariedades dos "grandes" mas emperra a Organização e admite chantagens. Se não é possivel acabar com ela, assinem tratados com a Suécia, deixando de fora a Turquia que assim fica a ver navios que lhe vão ficar caros em termos de retirada de apoios, que a tornem membro da NATO mesmo sem adesão formal. E a Hungria e Turquia que sejam convidadas a sair... Jogam mais pela Rússia que pela NATO, embora beneficiem de apoios Ocidentais.

Destaques V+