A+ / A-

Gangue exige 17 milhões para libertar missionários no Haiti

19 out, 2021 - 15:54 • Ricardo Vieira, com agências

O sequestro de 17 missionários foi levado a cabo pelo mesmo gangue que raptou um grupo de religiosos católicos, em abril.

A+ / A-

O gangue criminoso que raptou 17 missionários no Haiti exige 17 milhões de dólares para libertar o grupo composto por cidadãos dos Estados Unidos e do Canadá.

O ministro da Justiça do Haiti disse ao “Wall Street Journal” que os raptores reclamam um milhão de dólares por cada uma das vítimas.

O sequestro foi levado a cabo pelo “400 Mazowo”, um gangue conhecido por outros ataques do género, como o rapto de um grupo de religiosos católicos, em abril.

Os religiosos foram libertados mais tarde, mas nunca chegou a ser esclarecido se foi ou não pago algum resgate.

No caso mais recente, um grupo de missionários americanos foi raptado no Haiti, no sábado, quando saía de um orfanato que estava a ajudar a construir naquele país.

Segundo o jornal "New York Times", o grupo era composto por 17 missionários, mais vários membros das suas famílias, incluindo crianças.

Os missionários fazem parte do grupo Christian Aid Missionaries, com sede no Ohio.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+