Tempo
|
Autárquicas 2021
34,22%
148Câmaras
13,2%
72Câmaras
10,81%
31Câmaras
8,21%
19Câmaras
5,54%
19Câmaras
4,16%
0Câmaras
2,75%
0Câmaras
1,5%
6Câmaras
1,3%
0Câmaras
14,18%
13Câmaras
  • Freguesias apuradas: 3092 de 3092
  • Abstenção: 46,35%
  • Votos Nulos: 1,58%
  • Votos em Branco: 2,50%

A+ / A-

Afeganistão. Chefe da diplomacia europeia considera que os "talibãs ganharam a guerra"

17 ago, 2021 - 20:25 • Lusa

Segundo Josep Borrell, é necessário para prevenir um potencial "desastre humanitário e migratório"

A+ / A-

O chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, afirmou, no final de uma videoconferência de ministros dos Negócios Estrangeiros da UE desta terça-feira, que "os talibãs ganharam a guerra" no Afeganistão e agora há que "falar com eles".

"Temos de entrar em contacto com as autoridades em Cabul, quaisquer que sejam. Os talibãs ganharam a guerra, por isso temos de falar com eles, de modo a encetar um diálogo tão cedo quanto possível", afirmou o alto representante da UE para a Política Externa, numa conferência de imprensa.

Segundo Borrell, é necessário para prevenir um potencial desastre humanitário e migratório", evitar "o regresso da presença terrorista estrangeira no Afeganistão", outra questão no topo da agenda da UE, e garantir a proteção dos direitos humanos e, em especial, das mulheres e raparigas.

Ao mesmo tempo, garantiu, a UE estará particularmente "vigilante relativamente às obrigações internacionais" daquelas que são as novas autoridades afegãs.

Quando interpelado pela única correspondente afegã em Bruxelas, que implorou em lágrimas que a União Europeia não reconheça oficialmente o novo regime talibã, Borrell esclareceu que não se trata de um reconhecimento formal, mas sim a necessidade de entrar em contacto com quem está no poder agora em Cabul.

"Não disse que vamos reconhecer os talibãs, só disse que temos de falar com eles para tudo, até para tentar proteger mulheres e raparigas. Até para isso temos de entrar em contacto com eles", afirmou, deixando a garantia de que a UE vai utilizar toda o seu "poder económico e político" na defesa do povo afegão e dos direitos humanos.

Por fim, quando questionado sobre se acredita que os talibãs mudaram ao longo dos últimos 20 anos, tal como proclamam, Josep Borrell respondeu que, "aparentemente, parecem os mesmos, mas falam melhor inglês".

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+