Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Crise Climática

Sicília atinge os 48,8 graus, a temperatura mais elevada da história europeia

12 ago, 2021 - 13:33 • Hélio Carvalho

O recorde acompanha o calor extremo que se está a fazer sentir no Mediterrâneo e surge depois das previsões do IPCC sobre o aumento de temperaturas mundiais nas próximas décadas.

A+ / A-

A onda de calor extrema que se está a fazer sentir este verão na Europa culminou com a temperatura mais elevada de sempre na história do continente, desde que há registo. Em Siracusa, na Sicília, as autoridades italianas registaram 48,8 graus Celsius.

Segundo o jornal The Guardian, citando dados do Organização Meteorologia Mundial, a temperatura mais elevada até agora na Europa tinha sido registada em Atenas, em 1977, quando os termómetros chegaram aos 48 graus.

O valor recorde surge enquanto a Itália, além de outros países banhados pelo Mediterrâneo - especialmente a Grécia, Turquia, Tunísia e Argélia - enfrentam incêndios florestais de grandes dimensões, devido à onda de calor conhecida como "Lúcifer".

As elevadas temperaturas já fizeram o Governo italiano decretar estado de emergência.

No Twitter, o meteorologista escocês Scott Duncan acrescentou que "uma onda de calor perigosa dispersa por grande parte do Norte de África e no Sul da Europa" e "o calor vai deslocar-se ligeiramente para Oeste e Norte nos próximos dias".

Em Portugal, prevê-se um aumento das temperaturas ao longo do fim-de-semana, com os termómetros no Alentejo a atingirem os 40 graus centígrados.

Esta onda de calor na Europa, com o tal pico na Sicília, instala-se enquanto o mundo ainda está a processar as previsões catastróficas do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês).

O relatório detalhado do IPCC sobre o impacto das alterações climáticas prevê que o mundo falhe as metas do Acordo de Paris e que a temperatura média mundial aumenta 1,5 ºC até 2030, cerca de dez anos antes das previsões até agora feitas.

Se nada for feito para mudar o rumo, a temperatura mundial irá aumentar 1,5 graus até 2040, 2 graus até 2060 e 2,7 graus até 2100.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+