Tempo
|

35,46%
47 Deputados
25,31%
29 Deputados
9,02%
7 Deputados
6,35%
3 Deputados
3,99%
1 Deputados
3,09%
1 Deputados
1,38%
0 Deputados
1,25%
0 Deputados
1,11%
0 Deputados
5,15%
5 Deputados
  • Freguesias apuradas: 2507 de 3092
  • Abstenção: 45,04%
  • Votos Nulos: 5,43%
  • Votos em Branco: 2,47%

Total esquerda: 57Mandatos
Pan: 1Mandatos
Total direita: 35Mandatos
A+ / A-

Covid-19. Um em cada quatro jovens no mundo tem sintomas de depressão elevados

09 ago, 2021 - 20:12 • Lusa

A Universidade de Calgary realça que os sintomas de depressão e ansiedade duplicaram nas crianças e adolescentes devido à pandemia.

A+ / A-

Veja também:


Um estudo de análise à escala global estima que um em cada quatro jovens tem sintomas de depressão elevados e um em cada cinco apresenta sintomas de ansiedade altos devido à pandemia da Covid-19.

O trabalho de metanálise de 29 estudos, em que participaram 80.879 jovens de várias regiões do mundo, foi realizado por cientistas da Universidade de Calgary, no Canadá, e publicado na revista científica JAMA Pediatrics.

Em comunicado, esta segunda-feira, a universidade realça que os sintomas de depressão e ansiedade duplicaram nas crianças e adolescentes devido à pandemia.

Segundo a metanálise, que incorpora estudos da Ásia Central, Europa, Médio Oriente e das Américas do Norte, Central e Sul, são as raparigas e os jovens mais velhos quem demonstram níveis mais elevados de depressão e ansiedade.

"Estar socialmente isolado, afastado dos amigos, das rotinas escolares e das interações sociais revelou ser muito duro para as crianças", assinalou uma das coautoras do estudo, Sheri Madigan, citada pela agência noticiosa Efe, enfatizando que os índices de ansiedade e depressão aumentam quando são impostas mais restrições.

Outra das autoras, Nicole Racine, salientou que o "apoio social" dado aos jovens pelos amigos "diminuiu em grande medida ou, em alguns casos, faltou por completo durante a pandemia", devido aos confinamentos prolongados.

"Estes jovens não imaginavam que, quando se formassem, nunca chegariam a despedir-se da sua escola, dos seus professores ou amigos (...) e há um processo de luto associado a isso", sustentou a psicóloga clínica.

Ambas as investigadoras pedem mais apoios para a saúde mental de crianças e adolescentes em momentos críticos como uma pandemia.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Bruno
    09 ago, 2021 isso.querias@saber.tu 22:09
    Os jovens tomaram um banho de realidade. Sejam bem-vindos à vida dos adultos, um mundo repleto de frustrações, sonhos destruídos, perdas, lutos, vazios existênciais, absurdos e imprevistos. Falta ainda aprenderem que os humanos podiam mitigar esta angustia se houvesse um espírito de ajuda mútua para superar as dificuldades do dia a dia mas que, em vez disso, existe competição, frieza e indiferença que torna a nossa existência ainda mais insuportável.

Destaques V+