Tempo
|
A+ / A-

Afeganistão. Talibãs ocupam zona-chave perto de Kandahar

04 jul, 2021 - 10:56 • Lusa

Desde que EUA iniciaram o repatriamento dos seus soldados após 20 anos de guerra no Afeganistão, os talibãs intensificaram as suas ofensivas.

A+ / A-


Forças talibãs ocuparam o distrito-chave de Panjwai, no seu antigo bastião da província meridional de Kandahar, após combates noturnos contra as forças afegãs, anunciaram as autoridades locais, numa ofensiva que acontece quando decorre a retirada das tropas norte-americanas.

Situada a uma quinzena de quilómetros da cidade de Kandahar, a capital da província com o mesmo nome, Panjwai foi durante muito tempo território talibã e palco de fortes combates entre rebeldes e tropas da NATO (Organização do Tratado do Atlântico Norte, no acrónimo inglês).

Desde que os Estados Unidos iniciaram, no passado dia 1 de maio, o repatriamento dos seus soldados após 20 anos de guerra no Afeganistão, os talibãs intensificaram as suas ofensivas contra as forças afegãs para assumirem o controlo das zonas rurais do país.

A tomada de Panjwai pelos talibãs acontece dois dias depois da partida das tropas norte-americanas e da NATO da base de Bagram, situada a 50 quilómetros a norte de Cabul e centro nevrálgico das operações da coligação contra os talibãs nos últimos 20 anos.

Segundo o governador do distrito de Panjwai, Hasti Mohammad, talibãs e forças afegãs confrontaram-se durante a noite, tendo estas deixado a zona.

O presidente do conselho provincial de Kandahar, Jan Khakriwal, confirmou a queda de Panjwai, acusando as forças afegãs, "em número suficiente", de se terem "retirado intencionalmente", acrescenta a AFP.

Kandahar é a província de origem dos talibãs, os quais tomaram o poder no Afeganistão em 1996, instaurando um regime islâmico ultrafundamentalista antes de serem derrubados em 2001 por uma coligação liderada pelos Estados Unidos, na sequência dos atentados do 11 de setembro.

Os combates recrudesceram nas últimas semanas em várias províncias afegãs e os talibãs afirmam controlar uma centena de distritos dos perto de 400 existentes no país.

As autoridades afegãs contestam este número, mas admitem que as forças governamentais se retiraram de alguns distritos, sendo difícil verificar a situação no terreno de forma independente.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+