Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Ministro do Irão pede desculpa após fuga de gravação de áudio

02 mai, 2021 - 12:10 • Lusa

As gravações do ministro dos Negócios Estrangeiros que vieram a público incluíram comentários sobre o poderoso general iraniano Qassem Soleimani, que foi morto por ataque de drone dos Estados Unidos em 2020.

A+ / A-

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão pediu desculpa, este domingo, pelos comentários gravados e divulgados publicamente em que critica a influência do Exército na diplomacia, criando discórdia no país a menos de dois meses das eleições presidenciais.

As gravações do ministro Mohammad Javad Zarif incluíram comentários sobre o poderoso general iraniano Qassem Soleimani, que foi morto por um ataque de ‘drone’ nos Estados Unidos da América em 2020, segundo a agência Associated Press, lembrando que a situação gerou conflito entre os dois países.

As procissões fúnebres de Soleimani no Irão atraíram milhões de pessoas às ruas.

Na gravação de áudio, que foi divulgado na semana passada, o ministro Zarif critica as relações separadas de Soleimani com a Rússia e por se recusar a parar de usar a transportadora nacional Iran Air para operações na Síria. A Iran Air foi sancionada pelos Estados Unidos.

Numa publicação na rede social Instagram, o ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão disse que esperava que a família de Soleimani o perdoasse.

"Espero que o grande povo do Irão e todos os amantes do general e especialmente a grande família de Soleimani me perdoem", manifestou Zarif.

Os comentários do ministro foram altamente controversos no Irão. O governante iraniano diz que o áudio gravado não era para ser divulgado.

“Se soubesse que uma frase disso [do áudio gravado] seria tornada pública, certamente não a teria mencionado como antes", apontou Zarif, na publicação no Instagram.

Ainda que alguns o tenham sugerido como um potencial candidato às presidenciais, Zarif afirmou que não concorrerá à presidência nas próximas eleições, que se realizam dentro de menos de dois meses.

Da morte de Soleimani aos bombardeamentos no Iraque. A escalada de tensões e a ameaça de uma nova guerra
Da morte de Soleimani aos bombardeamentos no Iraque. A escalada de tensões e a ameaça de uma nova guerra. Vídeo publicado a 8 de janeiro de 2020

Na terça-feira, o Presidente iraniano, Hassan Rohani, ordenou uma investigação após a fuga da gravação de áudio contendo declarações do ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão a criticar o papel do general Qassem Soleimani na política externa do país.

"Nós acreditamos que esse roubo de dados é uma conspiração contra o Governo, o sistema, a integridade das instituições nacionais e também contra nossos interesses nacionais", disse o porta-voz do Governo, Ali Rabii, aos jornalistas.

Na quarta-feira, Hassan Rohani considerou que a fuga da gravação áudio tem como objetivo criar "discórdia" em Teerão, no momento em que decorrem discussões internacionais para relançar o acordo nuclear iraniano.

"Roubar um documento, um áudio, isso é algo que precisa ser investigado. Porquê, então, neste momento?", questionou o Presidente Hassan Rohani durante a reunião do seu gabinete, declarações que foram transmitidas pela televisão iraniana.

Neste âmbito, o líder de um importante grupo de reflexão iraniano, próximo do Presidente, renunciou ao cargo após a divulgação da gravação.

Os comentários do ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão provocaram fortes críticas dos meios de comunicação e de políticos conservadores, sendo o caso do general Soleimani um assunto delicado no país.

Apelidado de "o homem do campo de batalha", Qassem Soleimani foi morto durante um ataque de 'drones' norte-americanos, em Bagdade, em janeiro de 2020.

Soleimani era o chefe da Força Quds, encarregado das operações externas da Guarda Revolucionária, braço ideológico do exército islâmico República do Irão.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+