Tempo
|
A+ / A-

Vila Galé aumenta salários em 11% e salário mínimo para 900 euros

11 jan, 2023 - 14:03 • Ana Carrilho com redação

Cadeia hoteleira viu as receitas mais do que duplicarem face a 2021, superando em 18% os números de 2019. Este ano vão abrir quatro novos hotéis, um deles exclusivamente para crianças.

A+ / A-

O grupo Vila Galé vai aumentar os salários em 11% em 2023 e vai ser implementado um salário mínimo de 900 euros na empresa, mantendo todos os benefícios atualmente em vigor, o que significa um investimento de quatro milhões e meio de euros.

Os “aumentos um pouco maiores nos salários mais baixos e percentualmente menores nos mais elevados”, confirmou aos jornalistas o administrador Gonçalo Rebelo de Almeida.

“É uma medida que tem de ser analisada ano a ano, em função das condições financeiras. Este ano acontece porque tanto os resultados de 2022 como as perspetivas para 2023 o permitem”.

À Renascença, Gonçalo Rebelo de Almeida revelou ainda que o objetivo é ultrapassar a barreira de 1.000 euros (de salário mínimo no Grupo) o mais rapidamente possível, mas sem pôr em causa a saúde financeira da empresa.

Além disso, o Grupo Vila Galé Vai aumentar os prémios aos trabalhadores, em função do mérito e apostar na formação. Na calha está ainda a criação de um mecanismo de apoios sociais complementares aos públicos destinados a trabalhadores mais carenciados e famílias. Deverão abranger as áreas da habitação, educação, desporto e cultura.

Grupo encerra ano com bons resultados

A cadeia fechou 2022 com 135 milhões de euros em receitas, quase o dobro dos 59 milhões de euros alcançados em 2021. Este número já supera em 18% o registado em 2019, antes da pandemia.

O mesmo responsável acredita que o “mercado português dificilmente crescerá muito mais”, mas existem outros com margem, como o Brasil e os Estados Unidos, mas também a Alemanha. “Estamos otimistas quanto a 2023, mas não estamos eufóricos que isto agora vai ser sempre crescimento atrás de crescimento”, sublinhou.

O mercado português cresceu no ano passado e 53% foram clientes nacionais. Segundo o administrador, o principal mercado internacional é o Reino Unido, seguido de Espanha e da Alemanha, mas o norte-americano é o que está a crescer mais.

Como todas as empresas, a cadeia sentiu os efeitos da inflação e revela que, em dezembro, comparando com um ano antes, notou um aumento perto de 22% nos preços da parte alimentar. Quanto à fatura da água houve uma subida de 8% e a do gás praticamente duplicou.

Para 2023, a cadeia hoteleira está “otimista”, mas não “eufórica”.

Atualmente, têm em Portugal 1.350 funcionários e na época alta contratam mais 500 sazonais. Mas este ano vão ser contratadas mais 170 pessoas.

O grupo tem atualmente 27 hotéis em Portugal e 10 no Brasil, o que no total dá 21 mil camas.

Até ao verão vai abrir quatro novos hotéis em Portugal, entre eles, o primeiro exclusivo para crianças, “onde os adultos só podem entrar quando acompanhados por crianças”, frisa o presidente do Vila Galé, Jorge Rebelo de Almeida.

Vai estar pronto para o Dia Mundial da Criança, 1 de junho. Localiza-se no Clube de Campo, em Beja, tal como uma outra unidade e agroturismo vocacionado para adultos, casais e a realização de eventos, que abre em abril.

Para maio está prevista a abertura do Vila Galé Collection São Miguel, para coincidir com as Festas do Senhor Santo Cristo, nos Açores.

No dia 1 de Julho abre o Vila Galé Collection Tomar, que resulta da recuperação do Convento de Santa Iria. O objetivo é que a abertura coincida com o início das Festas dos Tabuleiros.

O grupo está ainda a construir uma nova unidade em Ponte de Lima e deverá iniciar obra noutra em Trás-os Montes. No Brasil, há três projetos em desenvolvimento.

Mais empresas tentam combater a inflação

Há vários exemplos no país de empresas que, influenciadas pela atual conjuntura, somaram a vários tipos de apoio aos funcionários, como uma subida da remuneração, nomeadamente, o salário mínimo.

O Super Bock Group aumentou o salário mínimo de 735€ para 775€, o que significa um aumento de 5% face ao ano anterior. Fica também acima da retribuição mínima mensal garantida estipulada pelo Governo para 2023, de 760€.

Há ainda casos como o grupo sueco Ikea, que aumentou o salário mínimo de entrada para todos os colaboradores a tempo inteiro no retalho, de 750 euros para 1.000 euros brutos mensais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+