Tempo
|
A+ / A-

TAP aumenta salário mínimo para 1.410 euros e reduz corte dos pilotos

20 jun, 2022 - 08:40 • Lusa

A+ / A-

A TAP vai aumentar o salário mínimo dos seus trabalhadores de 1.330 para 1.410 euros, com retroativos a janeiro, e reduzir em 10% o corte que os pilotos sofreram nos vencimentos, anunciou a companhia aérea.

“Como resultado deste diálogo aberto e contínuo, foi decidido atualizar o salário mínimo garantido de 1.330 euros para 1.410 euros, retroativamente a janeiro de 2022. Isto assegurará o princípio de manter a proteção de um nível de remuneração sem cortes equivalente a dois salários mínimos nacionais”, adiantou a comissão executiva da TAP numa mensagem enviada aos trabalhadores e à qual a agência Lusa teve acesso.
De acordo com a carta, especificamente para os pilotos, a comissão executiva presidida por Christine Ourmières-Widener vai “reduzir unilateralmente o corte que sofreram em 10%”, assim como pagar o subsídio de aterragem sem cortes e com retroativos a janeiro de 2022 e suspender a aplicação do mecanismo de `clawback´ (e não planear horas extraordinárias em conformidade).
Quanto à frota de aeronaves para os próximos anos, a empresa disse que "a decisão final da equipa executiva" aponta para uma "frota da Embraer de 19 aviões para 2022" e, para 2023, a "expectativa é fazer crescer a frota da Airbus".
Esta decisão da TAP não foi negociada com o sindicato dos pilotos como fez questão de afirmar o SPAC num comunicado aos seus associados em que explica porque recusou a proposta feita pela empresa a qual admitia uma reposição maior dos salários, mas exigindo disponibilidade de dias para voar.
Os sindicatos têm exigido a reposição mais rápida dos salários cortados em 2021 face à retoma do tráfego que este verão está ao nível de 90% do registado em 2019 antes da pandemia, mas a presidente executiva da TAP afastou essa pretensão no parlamento, argumentando que o aumento do movimento não corresponde necessariamente a mais receita.

Na quarta-feira, um conjunto de sindicatos, que representa a maioria dos trabalhadores da TAP, afirmou que a comissão executiva da TAP tinha optado por romper "o processo de conversações".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+