Tempo
|
A+ / A-

OE2021: Pagamentos em atraso do Estado aumentam 173,2 milhões de euros

26 mai, 2021 - 20:03 • Lusa

Os pagamentos em atraso das entidades públicas ascenderam a 654,7 milhões de euros até ao final de abril.

A+ / A-

Os pagamentos em atraso das entidades públicas ascenderam a 654,7 milhões de euros no final de abril, valor que representou um aumento de 173,2 milhões de euros relativamente ao mesmo período de 2020.

De acordo com a Síntese de Execução Orçamental hoje divulgada pela Direção-Geral do Orçamento (DGO), o valor dos pagamentos em atraso registados no final de abril refletiu também uma subida face ao verificado no final do mês anterior, em 82,3 milhões de euros. .

"Para a evolução homóloga, contribuíram, sobretudo, os Hospitais EPE, que registaram um aumento de 178,1 milhões de euros, atenuado pela diminuição de 21,7 milhões de euros na Administração Regional", sublinha a DGO.

Também no que diz respeito à variação mensal, o maior contributo foi registado nos Hospitais EPE, com um aumento de 78,5 milhões de euros.

O saldo das contas públicas agravou-se em 3.148 milhões de euros até abril face ao mesmo período do ano passado, resultando num défice de 4.845 milhões de euros, de acordo com os dados divulgados esta quarta-feira.

No comunicado divulgado pelo Ministério das Finanças que antecede a divulgação da Síntese de Execução Orçamental, é referido que o agravamento do saldo das contas públicas é explicado "pelo impacto do confinamento e da resposta à pandemia, incluindo as medidas extraordinárias de apoio direcionadas a famílias e empresas", resultando do efeito combinado da contração da receita (-6,3%) e do aumento da despesa primária (+6,0%).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+