Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

Governo prevê perda de 60 mil empregos no turismo

23 nov, 2020 - 18:01 • Redação com Reuters

Algumas regiões de Portugal têm que diversificar a sua economia para reduzir a dependência do turismo, defende a secretária de Estado Rita Marques, em entrevista à agência Reuters.

A+ / A-

Veja também:


O setor do turismo em Portugal deverá perder 60 mil postos de trabalho até ao final do ano e a recuperação não vai ser rápida, afirma a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, em entrevista à agência Reuters.

“Sabemos que vai ser difícil e que vai demorar algum tempo”, afirma a governante, numa análise ao impacto no turismo da pandemia de Covid-19.

A secretária de Estado espera que no terceiro trimestre de 2021 os turistas comecem a regressar a Portugal, mas tudo vai depender do sucesso da vacina para a Covid-19.

No entanto, o turismo português poderá ter que esperar até 2023 para regressar aos níveis elevados de procura verificados antes da pandemia.

Algumas das regiões de Portugal têm que diversificar o modelo económico para reduzir a dependência do turismo, defende Rita Marques nesta entrevista à agência Reuters.

O Algarve é a região mais afetada pela crise provocada pela pandemia, com um aumento de 134% do número de pessoas inscritas nos centros de emprego. A este problema junta-se a saída do Reino Unido da União Europeia, que poderá levar a uma redução de turistas britânicos.

Para a secretária de Estado, é fundamental desenvolver outros setores da economia, mas também atrair turistas de outros países.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+