Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

​Conselhos da DGS para regressar à empresa sem risco

29 abr, 2020 - 21:03 • Dina Soares

O documento recomenda às empresas que promovam a automedição da temperatura por parte dos trabalhadores antes do início da jornada laboral.

A+ / A-

Veja também:


A Direção Geral da Saúde (DGS) já divulgou as regras que devem orientar o regresso dos trabalhadores às empresas. Lavar as mãos, desinfetar os espaços e manter a distância são as regras de ouro.

Limpeza, desinfeção e distanciamento são os princípios básicos do documento apresentado pela DGS sobre as regras a adotar para garantir um regresso ao emprego sem perigo de contágio.

O documento, elaborado no âmbito do Programa Nacional da Saúde Ocupacional, recomenda às empresas que promovam a automedição da temperatura por parte dos trabalhadores antes do início da jornada laboral, depois de a Comissão Nacional de Proteção de Dados ter determinado que só os próprios trabalhadores ou as autoridades de saúde podem medir a temperatura.

Já a limpeza e desinfeção das superfícies nos locais de trabalho é da responsabilidade das empresas, aconselhadas a reforçar a higienização das superfícies, mobiliário e objetos de contacto frequente, como maçanetas, interruptores, teclados e telefones pelo menos uma vez por dia, ou após cada utilização, conforme os casos.

Cabe também à empresa adquirir termómetros, preferencialmente digitais ou por infravermelhos, para evitar o contacto cutâneo. Bem como garantir o equipamento de proteção individual necessário a cada trabalhador.

Tossir para o braço e lavar as mãos

O respeito pela etiqueta respiratória e a lavagem frequente das mãos continuam a ser cuidados essenciais para a prevenção do contágio.

A DGS recomenda, por isso, paragens durante o horário de trabalho para que os trabalhadores possam lavar ou desinfetar as mãos.

Para garantir condições que permitam respeitar o distanciamento social – dois metros em espaços interiores e um metro no exterior - é sugerida a reorganização das equipas e a definição de fluxos de entrada e saída das instalações, de forma a ter menos pessoas na empresa ao mesmo tempo. Sempre que possível, a DGS aconselha a manutenção do teletrabalho, sobretudo para os grupos vulneráveis ou de risco.

Quando não for possível manter a distância recomendada, é aconselhada a utilização de barreiras físicas de vidro ou acrílico, postigos entre o trabalhador e o cliente, e ventilação reforçada do espaço, incluindo pela abertura das janelas.

Mesmo quando as distâncias recomendadas são respeitadas, a DGS considera que quem esteja constipado ou tenha tosse deve usar máscara.

Atendimento público sempre de máscara

A máscara é obrigatória quando as empresas têm atendimento ao público. Nestes casos, é aconselhada a disponibilização de máscaras aos clientes ou utentes, fornecedores ou qualquer pessoa que se desloque à empresa. Propõe-se também que, sempre que possível, o atendimento seja feito por marcação prévia.

O uso dos espaços comuns, como salas de reuniões, refeitórios e elevadores deve ser regulado e, sempre que possível evitado, substituindo, por exemplo, as reuniões presenciais por videochamadas ou videoconferências.

Caso seja identificado um trabalhador com covid-19, será a autoridade de saúde, em articulação com o médico do trabalho da empresa, a identificar os respetivos contactos e adotar medidas de descontaminação que evitem a transmissão da doença.

Recomendações que vão ao encontro das medidas propostas pela Autoridade para as Condições de Trabalho para um regresso à empresa em segurança. A ACT propõe um regresso faseado, o acesso fácil a locais para a lavagem das mãos e a desinfetantes alcoólicos, sugere ainda que sejam encontradas alternativas ao controlo biométrico de contacto no controlo da assiduidade.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+