Tempo
|
A+ / A-

Tiago Oliveira eleito secretário-geral da CGTP por maioria

24 fev, 2024 - 04:09 • Lusa

Tiago Oliveira foi eleito para o mandato de 2024/2028 com 107 votos a favor de um total de 132 elementos do Conselho Nacional da intersindical.

A+ / A-
Foto: António Cotrim/Lusa
Foto: António Cotrim/Lusa
Foto: António Cotrim/Lusa
Foto: António Cotrim/Lusa
Foto: António Cotrim/Lusa
Foto: António Cotrim/Lusa
Foto: António Cotrim/Lusa
Foto: António Cotrim/Lusa

Foram ainda registados 25 votos em branco, anunciou a dirigente sindical Ana Pires, em conferência de imprensa.

A eleição foi realizada na madrugada deste sábado, após o encerramento dos trabalhos do XV Congresso da CGTP, que decorreu na Torre da Marinha, Seixal, distrito de Setúbal.

O Conselho Nacional elegeu ainda a nova Comissão Executiva da CGTP, com 104 votos a favor e 29 em branco.

Este órgão da central sindical é composto por 147 dirigentes, tendo votado 133.

Em declarações aos jornalistas, Tiago Oliveira disse que a intersindical vai continuar a combater "todo o tipo de atropelos cometidos contra quem trabalha" e "lutar por uma política diferente".

"Vamos sair deste congresso mais fortalecidos com a certeza de que a luta dos trabalhadores será uma constante", sublinhou o novo secretário-geral da CGTP.

Tiago Oliveira, de 43 anos, poderá fazer mais do que um mandato como líder da CGTP.

De acordo com dados do último congresso, realizado em 2020, a CGTP representava 556 mil trabalhadores em todo o país.

A CGTP é constituída por 10 federações sindicais, 22 uniões e 79 sindicatos filiados. Agrega ainda cerca de 40 sindicatos que, não sendo filiados, convergem com a intersindical na ação face a objetivos comuns, segundo dados da intersindical.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anastácio José Marti
    26 fev, 2024 Lisboa 09:31
    Tem grandes desafios pela frente para merecer o cargo que vai ocupar, tais como: 1 - Algo assumir para que sejam devolvidos aos funcionários públicos, mais de uma década após a saída da Troika do país, os Subsídios de Férias e de Natal por inteiro, como acontecia até à vinda da Troika e após mais de uma década desde que a mesma Troika saiu do país, continuam imoralmente a fazerem incidir sobre tais subsídios descontos para o IRS, ADSE, CGA, etc, até quando senhor Secretário Geral da CGTP? 2 - Quando é que essa CGTP assume as suas responsabilidades para que deixe de ser cúmplice e conivente para com os homicídios profissionais que continuam a ser cometidos na Administração Pública portuguesa ao ponto de existir pelo menos um trabalhador DEFICIENTE, LICENCIADO que ainda hoje é impedido de se realizar profissionalmente e de ingressar na carreira de Técnico Superior o que é do conhecimento daquela CGTP há mais de uma década? 3 - Para quando é que a CGTP passa a exigir ao Governo que permita que todo e qualquer funcionários público com pelo menos 40 anos de descontos se possa aposentar sem ser penalizado?
  • António dos Santos
    24 fev, 2024 Coimbra 14:29
    Mais um parasita dos trabalhadores, que não os vai defender, mas sim, fazer a política do PCP.

Destaques V+