Tempo
|

Fotogaleria

Carlos III “não é o meu rei”: a coroação na Escócia marcada por protestos

06 jul, 2023 - 10:42 • Beatriz Pereira

Edimburgo celebrou esta quarta-feira a coroação escocesa de Carlos III e da rainha Camila. Entre festejos e apoios dos fãs da família real, houve quem protestasse contra a monarquia.

A+ / A-

Uma multidão, envolta num ambiente em festa, reuniu-se esta quarta-feira na Escócia para celebrar a coroação do rei Carlos e da rainha Camila. Mas não foram os únicos que quiseram estar presentes na cerimónia de entrega da "Honras da Escócia", as joias da coroa britânica mais antigas: também um grupo com cerca de 200 anti-monárquicos reuniu-se junto da Catedral de St. Giles. Em voz alta, fizeram-se ouvir empunhando cartazes amarelos com a frase “Not my King” (Não é o meu Rei). Quatro pessoas acabaram por ser detidas.

Numa receção mista ao rei Carlos III, monarquistas juntaram-se também para cantar God Save Our Gracious King.


O evento marca o facto histórico de Inglaterra e a Escócia terem tido monarcas diferentes até à união das coroas, que aconteceu em 1603.


Na Catedral de St. Giles, as cerimónias aconteceram com a entregas das Honras da Escócia, as joias da coroa do país- uma coroa, um cetro e a espada de estado, feitas em ouro, prata e pedras preciosas. Estes elementos são símbolos do compromisso do Rei com a nação escocesa.

Depois da celebração religiosa, a coroação ficou marcada pela saudação de 21 tiros disparados do Castelo de Edimburgo e com a exibição aérea dos Red Arrows, a equipa de aviões acrobatas da Royal Air Force.

De recordar que Carlos e Camila já tinham sido coroados na Abadia de Westminster, em Londres, no dia 6 de maio, com a presença de cerca de 100 líderes mundiais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+