A+ / A-

Número de atletas federados retomou em 2022 números pré-pandémicos

05 abr, 2024 - 14:37 • Eduardo Soares da Silva

Segundo dados publicados esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), futebol, natação e voleibol são os desportos mais praticados no país.

A+ / A-

O número de atletas federados recuperou em 2022 os valores anterior à pandemia. É uma das conclusões do relatório "Desporto em números", publicado esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

O relatório, que apenas contempla os valores até 2022 neste parâmetro específico, aponta para a existência de mais de 686 mil atletas inscritos nas diferentes federações, um crescimento de 41% em relação ao ano anterior, ainda marcado por isolamentos e restrições às atividades desportivas, que paralizaram por completo algumas modalidades.

Em 2019, existiam 688 mil atletas federados, um valor que caiu para 587 mil no primeiro ano pandémico (2020) e para 483 mil no ano seguinte (2021).

O futebol é a modalidade com mais praticantes - quase 200 mil -, com 28,5% do total de atletas. A natação é a segunda modalidade a surgir na lista, com mais de 76 mil atletas, seguido do voleibol, com cerca de 51 mil.

Mais de dois terços dos atletas são homens. A disparidade é igualmente grande quando o tema são atletas de alto rendimento. Existiam 923 no país em 2023, 599 são homens.

Ainda sem dados referentes a 2023, o relatório conclui que em 2022 foi o ano com mais clubes desportivos registados. Existiam 11,456 instituições inscritas, quase mais 1,500 do que em 2021, seguindo a mesma tendência de recuperação pós-pandémica.

No que diz respeito ao investimento público, em 2022, as câmaras municipais afetaram 367 milhões de euros a atividades e equipamentos desportivos, um crescimento de 13,7% em relação ao anterior. A verba representa 3,5% do investimento total dos municípios.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+