Tempo
|
A+ / A-

Proença estava preparado para renunciar à presidência da Liga

16 jun, 2023 - 10:51 • Redação

"Os últimos dias foram os mais difíceis como presidente da Liga", diz Pedro Proença, em comunicado. Caso Mário Costa não tivesse renunciado ao cargo de presidente da Assembleia Geral, o presidente saía.

A+ / A-

Pedro Proença revela, em comunicado, que estava preparado para renunciar ao cargo de presidente da Liga, que ocupa há oitos anos e para o qual acabou de ser reeleito. O dirigente explica que, caso Mário Costa não tivesse renunciado às funções de presidente da Mesa da Assembleia Geral da Liga, devido ao seu alegado envolvimento num caso de tráfico de pessoas, ele próprio saía.

"Caso não tivesse ocorrido a renúncia ao cargo por parte do presidente da Mesa da Assembleia Geral durante a reunião de urgência [quarta-feira] para a qual convoquei os presidentes dos três órgãos sociais que compõem a Liga Portugal, estávamos, eu e os presidentes do Conselho Jurisdicional e do Conselho Fiscal, preparados e alinhados para renunciarmos aos cargos para os quais fomos empossados há pouco mais de uma semana", revela.

Nesta nota, Proença ressalva que "não está, nem nunca esteve, em causa o princípio de presunção de inocência". No entanto, em coerência com o que defende ter sido sempre a conduta da Liga, sob a sua presidência, não lhe restava outra opção.

"A Liga Portugal tem-se batido, nos últimos oito anos, pela defesa de princípios e valores éticos, de transparência e idoneidade (...) Não pode, por isso, ficar associada às notícias que vieram a público, envolvendo o agora ex-presidente da mesa da Assembleia Geral", explica.

"Os danos reputacionais que potencialmente poderiam ser infligidos à Liga Portugal por ver-se, ainda que de forma indireta, associada às notícias que ocuparam boa parte do espaço mediático tornariam, caso se mantivessem, insustentável a minha continuidade na presidência da instituição", acrescenta.

Em nome da defesa da reputação da Liga, Proença anuncia um reforço dos "mecanismos de escrutínio prévio da idoneidade de todos os membros dos órgãos sociais" da Liga. "O futuro cumprir-se-á, a partir deste momento, com uma renovada liderança da Mesa da Assembleia Geral da Liga Portugal, garantindo todas as condições para, em comunhão de princípios e valores com os restantes órgãos sociais, cumprir os objetivos definidos para o mandato que acabou de começar", afirma.

Nesta mensagem publicada no site da Liga, Proença reconhece, ainda, que "os últimos dias foram dos mais difíceis que vivi nos últimos oito anos".

Mário Costa renunciou à presidência da Mesa da Assembleia Geral, na quarta-feira, após reunião de urgência convocada por Pedro Proença, na sequência do alegado envolvimento de Mário Costa num caso de tráfico de pessoas.

Inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) realizaram buscas na casa do dirigente. Em causa estão suspeitas de tráfico de seres humanos.

O SEF suspeita do envolvimento do dirigente em negócios à margem da lei com jovens jogadores de futebol oriundos do extremo-oriente e da América do Sul. a academia de futebol "Bsports Academy", em Riba de Ave, concelho de Vila Nova de Famalicão, também foi alvo da operação.

No total, foram resgatados 114 jovens, que estão agora em centros de acolhimento para posteriormente serem entregues às respetivas famílias na América Latina, África e Ásia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+