32,08%
8 Deputados
31,11%
7 Deputados
9,79%
2 Deputados
9,07%
2 Deputados
4,26%
1 Deputados
4,12%
1 Deputados
3,76%
0 Deputados
1,22%
0 Deputados
2,62%
0 Deputados
  • Freguesias apuradas: 3092 de 3092
  • Abstenção: 63,48%
  • Votos Nulos: 0,77%
  • Votos em Branco: 1,20%

A+ / A-

Futebol internacional

​La Liga investiga alegados insultos racistas de menor a Vinícius

04 mar, 2024 - 16:42

O incidente aconteceu durante o jogo entre Valência e Real Madrid, no Mestalla. O futebolista brasileiro marcou dois golos.

A+ / A-

A La Liga está novamente a investigar um alegado caso de racismo contra Vinícius Júnior, avança o “The Athletic”. O caso tornou-se público depois de, nas redes sociais, ter começado a circular um vídeo de um menor a chamar “macaco” ao jogador brasileiro.

O vídeo foi publicado pela ESPN Brasil e a mulher que gravou o vídeo disse que a polícia foi chamada a intervir durante a partida.

O internacional brasileiro marcou dois golos no empate a duas bolas entre o Real Madrid e o Valencia. Na celebração, colocou o punho em riste em sinal de protesto. Nas redes sociais afirmou: “A luta continua”.

Uma cronologia de ataques racistas

Vinícius Júnior, apesar de estar ligado ao Real Madrid desde 2018, começou realmente a brilhar pela formação espanhola na temporada 2021/2022, tendo marcado cinco golos em cinco jogos com o emblema de Madrid ao peito.

Apesar de se ter tornado rapidamente uma das maiores estrelas do futebol internacional, os adeptos espanhóis dos outros clubes nunca foram na cantiga dos seus encantos e os insultos repetem-se.

Para Vini Júnior, lidar com o racismo já se tornou parte da sua rotina. Em setembro de 2022, antes do clássico de Madrid, entre Atlético e Real, os adeptos colchoneros entoaram cânticos racistas à porta do estádio antes da partida. O Atlético condenou as ações, afirmando que aquela era uma minoria dos adeptos e não toda a massa associativa.

Contudo, a história não terminou por ali e não foi preciso esperar muito. Ainda no mesmo mês, o jogador recebeu duras críticas pela celebração de um dos seus golos. O internacional brasileiro foi dançar para o lado da bandeirola de canto e os adeptos não gostaram.

Não era a primeira vez que víamos um jogador a dançar depois de marcar um golo: Ronaldinho, Neymar e até Cristiano Ronaldo já deram um pezinho de dança no relvado. Talvez por isso mesmo, Neymar saiu em defesa do colega de seleção dizendo que iriam dançar juntos depois do próximo golo que Vinícius marcasse.

Em dezembro do mesmo ano, enquanto Vinícius era substituído, os adeptos do Valladolid terão dito palavras racistas contra o jogador. A La Liga tomou conhecimento do caso e apresentou queixa às autoridades.

Em janeiro de 2023, um boneco referente ao extremo direito foi pendurado numa ponte perto do centro de treinos do Real Madrid antes do jogo contra o Atlético, a contar para a Copa do Rei. Mais uma vez, o Atlético de Madrid condenou as ações dos seus adeptos.

Em março do ano passado, a La Liga voltou a condenar um “ato racista intolerável” contra o jogador, perpetrado desta vez num jogo contra o Barcelona. Que os clássicos são sempre calorosos e palco de muitos insultos já é sabido, mas os atos contra o internacional brasileiro extrapolaram as linhas do racismo. O caso foi levado ao Tribunal de Instrução de Barcelona.

Mas este não foi um caso isolado em Barcelona. Em outubro, Vinícius voltou alegadamente a sofrer abusos racistas por parte dos culés e o Barça abriu a sua própria investigação contra os suspeitos.

A estadia de Vini Júnior em Espanha tem sido uma enorme tempestade e os ataques contra ele não parecem atrapalhar os brilhantes números do jogador. Esta época já leva 14 golos e seis assistências em 25 jogos.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+