Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Caso da Superliga Europeia vai a tribunal. UEFA mantém intenção de proibir a competição

31 mai, 2021 - 14:33 • Redação

Providência cautelar de um tribunal de Madrid que protege os clubes da Superliga deu entrada no Tribunal Europeu da Justiça. UEFA garante que vai continuar a defender a sua posição.

A+ / A-

A UEFA emitiu um breve comunicado em que dá conta que vai defender em tribunal a vontade de proibir a Superliga Europa. O organismo dá conta que o caso está a ser julgado no Tribunal Europeu da Justiça e que vai continuar a defender a sua posição.

"A UEFA deu conta do anúncio do Tribunal Europeu da Justiça, depois de uma medida cautelar de um tribunal de Madrid sobre a Superliga Europeia, apesar da desistência de nove dos clubes fundadores. A UEFA está confiante na sua posição e vai defendê-la de forma robusta", diz.

Em causa está uma providência cautelar do tribunal do comércio de Madrid, que determinou cautelares para impedir qualquer ação que inviabilize a Superliga Europeia.

As medidas cautelares visam impedir ações da FIFA, UEFA e todas as suas federações ou ligas associadas que "proíbam, restrinjam, limitem ou condicionem de qualquer maneira, direta ou indiretamente, o avanço da Superliga".

Da mesma forma, segundo a EFE, o tribunal proíbe que se adotem "quaisquer medidas sancionatórias ou disciplinares contras os clubes participantes [na Superliga Europeia], os seus jogadores ou dirigentes".

A 18 de abril, AC Milan, Arsenal, Atlético de Madrid, Chelsea, Barcelona, Inter de Milão, Juventus, Liverpool, Manchester City, Manchester United, Real Madrid e Tottenham anunciaram a criação da Superliga europeia, à revelia de UEFA, federações nacionais e vários outros clubes.

Todos os clubes à exceção de Real Madrid, Barcelona e Juventus já anunciaram a intenção de sair do projeto, mas, segundo a imprensa internacional, os clubes têm de pagar uma multa de 300 milhões de euros para quebrarem os contratos que tinham inicialmente assinado, o que significa que formalmente a Superliga ainda conta com os seus 12 fundadores.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+