Tempo
|
Ribeiro Cristovão
Opinião de Ribeiro Cristovão
A+ / A-

Imbecilidades

15 nov, 2023 • Opinião de Ribeiro Cristovão


Schmidt treina o clube português de mais elevado prestígio nacional e internacional, mas não deixa, por isso, de ser um estrangeiro a trabalhar em Portugal, onde é altamente remunerado sem que tenha sido enxovalhado, como pretende a direcção benfiquista ao fazer a sua destrambelhada defesa.

Começamos pela mais antiga. Aquela que registámos no domingo à noite quando o treinador Roger Schmidt, no estádio da Luz, no pós-jogo Benfica-Sporting, procurou enxovalhar um jornalista respondendo a uma pergunta legítima sobre se teria considerado melhor o resultado do que a exibição da equipa de que é treinador no derby da noite, insinuando que o referido jornalista deveria ser adepto do Futebol Clube do Porto ou do Sporting Clube de Portugal.

Schmidt treina o clube português de mais elevado prestígio nacional e internacional, mas não deixa, por isso, de ser um estrangeiro a trabalhar em Portugal, onde é altamente remunerado sem que tenha sido enxovalhado, como pretende a direcção benfiquista ao fazer a sua destrambelhada defesa.

O técnico germânico não ousaria tal imbecilidade, seguramente, fazendo a mesma pergunta em qualquer estádio do seu país de origem, nem tampouco da Holanda ou da Áustria, outros dois países em que já treinou, com pouco sucesso, recorde-se.

O Sindicato dos Jornalistas e o CNID - Clube Nacional da Imprensa Desportiva - já tomaram posição pública sobre a aleivosia do treinador germânico, pelo que não é necessário acrescentar algo às alegações de ambos.

O que vale a pena é recordar a Schmidt que deve respeitar, se também quer ser respeitado.

Já basta que continue a entender que não deve fazer esforços para falar a língua de Camões, apesar de já permanecer entre nós há cerca de um ano e meio.

O outro acontecimento marcado pela imbecilidade aconteceu no Dragão Arena, no Porto, onde alguns desordeiros impediram que se cumprisse a ordem de trabalhos de uma Assembleia Geral convocada para alterar os estatutos do clube dos Dragões.

A noite de segunda-feira ficará como uma das mais negras da história de um clube prestigiado,

que não deveria passar por momentos tão condenáveis, originados pela deficiente capacidade organizativa que ficou à vista durante mais três horas.

O Futebol Clube do Porto, clube centenário, com uma vida marcada por tão grandes quanto importantes vitórias, merece que na próxima segunda-feira tudo decorra de forma contrária, e que, se necessário, os desordeiros não tenham de novo entrada no palco dos trabalhos da próxima assembleia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Constantino Figueire
    15 nov, 2023 amora 12:10
    Esqueceu uma coisa, sr. jornalista - não foi o assalariado Smith que fez a defesa,mas sim o clube mais prestigiado. Está a ver a diferença? Se sim só mostra a inteligência que não teve ao escrever aquela porcaria. Retracte-se!