32,08%
8 Deputados
31,11%
7 Deputados
9,79%
2 Deputados
9,07%
2 Deputados
4,26%
1 Deputados
4,12%
1 Deputados
3,76%
0 Deputados
1,22%
0 Deputados
2,62%
0 Deputados
  • Freguesias apuradas: 3092 de 3092
  • Abstenção: 63,48%
  • Votos Nulos: 0,77%
  • Votos em Branco: 1,20%

Nota de Abertura
Nota de Abertura
A+ / A-

​Nota de Abertura

​Nota de Abertura. Guerra na Europa

28 fev, 2022 • Opinião de Nota de Abertura


No meio de tanto mal, percebe-se a força do bem. Ainda assim, a guerra é sempre uma derrota para todos. E será tanto maior, quanto mais tempo durar.

A invasão militar da Ucrânia mostra em simultâneo o pior e o melhor da Humanidade.

A brutalidade da invasão militar. Mas também a coragem de defender a vida.

O atropelo à liberdade. Mas também a dignidade da resistência.

O discurso desbragado do invasor. Mas também a resposta serena e convicta do defensor.

A cegueira ideológica dos saudosistas soviéticos portugueses. Mas também o seu isolamento, perante a condenação geral desta invasão.

A desolação de milhares de pessoas em fuga. Mas também o acolhimento pronto aos refugiados.

O horror do som e das imagens da guerra. Mas também a beleza genuína e tocante de quem enfrenta tanques e aviões sem qualquer arma na mão.

A ameaça nuclear e a coação do medo. Mas também a resposta da europa, inesperadamente unida.

O regresso dos tambores da guerra ao continente europeu. Mas também gestos de paz, como os do Papa Francisco.

As sirenes e os refúgios nos bunkers, com a vida virada do avesso. Mas também a celebração da Missa, em condições impensáveis.

No meio de tanto mal, percebe-se a força do bem. Ainda assim, a guerra é sempre uma derrota para todos. E será tanto maior, quanto mais tempo durar.

Porém, não basta calar as armas. É preciso calá-las sem acender novos rastilhos para o futuro.

Porque a paz verdadeira - a verdadeira paz - é muito mais do que a mera ausência de guerra.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António José G Costa
    28 fev, 2022 Cacém 21:24
    Uma tragédia sem fim. Um novo Holodomor a marterizar a Ucrânia. Putin será derrotado, mas isso não apagarar as lagrimas das mães que não irão voltar a assistir aos sorrisos dos seus filhos e maridos...