Tempo
|

A+ / A-

4 novembro 2023

Inês Marques Lucas


Ao que parece a música entrou na sua vida muito cedo, por volta dos 5 anos. Pelo menos foi nessa altura que a mãe a ouviu a pedir ao menino Jesus um piano. Não houve dinheiro para comprar um piano, mas houve para pagar a inscrição numa escola de música para que ela pudesse aprender a tocar piano.

Inês Marques Lucas

Aos 10 começou a trocar o piano pela guitarra, pelo bandolim ou pela flauta transversal e, durante uns anos, ainda teve o sonho de ter um estúdio cheio de instrumentos e que os soubesse tocar todos. Agora já caiu na real e percebeu que não iria ter tempo suficiente na vida para tocá-los todos competentemente.

Na adolescência surgiram as primeiras canções, em inglês, mas percebeu logo que a língua portuguesa era o caminho a seguir.

De lá para cá, como sempre gostou muito de desporto, houve tempo para ser campeã nacional, para se dedicar ao design gráfico, para passar pelo The Voice duas vezes e, claro, para apresentar as suas próprias músicas.

O álbum de estreia intitula-se “Horas Mortas” e a Inês Marques Lucas passa pelo Música.pt para contar todas as novidades ao Carlos Bastos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.