Tópico:

dúvidas públicas


  • Entrevista a João Pedro Oliveira e Costa, presidente do BPI

    Dúvidas Públicas

    Entrevista a João Pedro Oliveira e Costa, presidente do BPI

    21 abr, 2024 - 00:51

    O presidente do BPI, João Pedro Oliveira e Costa, é o entrevistado desta semana do programa Dúvidas Públicas, da Renascença. As taxas de juro, os lucros da banca, os investimentos e o novo Governo são alguns dos temas em destaque.
  • Presidente do BPI acredita em juros abaixo de 3% ainda este ano

    Dúvidas Públicas

    Presidente do BPI acredita em juros abaixo de 3% ainda este ano

    20 abr, 2024 - 08:05

    Em entrevista à Renascença, João Pedro Oliveira e Costa rejeita ainda qualquer tipo de concertação em matéria de depósitos e defende que o Estado também "arrecadou muito com os lucros da banca", que considera irrepetíveis nos próximos anos. O presidente do BPI admite que a polémica com o IRS foi um “arranque em falso” do novo Governo.
  • Presidente do BPI acredita em juros abaixo de 3% ainda este ano

    Presidente do BPI acredita em juros abaixo de 3% ainda este ano

    20 abr, 2024 - 08:00

    Em entrevista à Renascença, João Pedro Oliveira e Costa rejeita ainda qualquer tipo de concertação em matéria de depósitos e defende que o Estado também "arrecadou muito com os lucros da banca", que considera irrepetíveis nos próximos anos. O presidente do BPI admite que a polémica com o IRS foi um “arranque em falso” do novo Governo.
  • "Há investimentos que não podem ser adiados", avisa presidente do BPI

    Dúvidas Públicas

    "Há investimentos que não podem ser adiados", avisa presidente do BPI

    19 abr, 2024 - 06:30

    João Pedro Oliveira e Costa diz à Renascença que nem todos os investimentos podem ser adiados por limites orçamentais e dá como exemplo o novo aeroporto de Lisboa. O CEO do BPI acredita que o executivo de Luís Montenegro tem condições de governabilidade, critica o Banco de Fomento e minimiza os 8 milhões cobrados indevidamente pela banca em 2023.
  • "Há investimentos que não podem ser adiados", avisa presidente do BPI

    Dúvidas Públicas

    "Há investimentos que não podem ser adiados", avisa presidente do BPI

    19 abr, 2024 - 06:30

    João Pedro Oliveira e Costa diz à Renascença que nem todos os investimentos podem ser adiados por limites orçamentais e dá como exemplo o novo aeroporto de Lisboa. O CEO do BPI acredita que o executivo de Luís Montenegro tem condições de governabilidade, critica o Banco de Fomento e minimiza os 8 milhões cobrados indevidamente pela banca em 2023.
  • CIP não faz "finca pé" com descida do IRC

    DÚVIDAS PÚBLICAS

    CIP não faz "finca pé" com descida do IRC

    13 abr, 2024 - 08:02

    Patrões abdicam do choque fiscal no IRC, em troca de outras medidas, mas apoiam um novo acordo de rendimentos "ambicioso"e avisam que os salários não se aumentam "por decreto ou simpatia". Em entrevista à Renascença, o presidente da Confederação Empresarial de Portugal defende ainda a revisão da lei laboral e da TSU e uma imigração programada que inclua a CIP. Aos partidos pede um "armistício" político.
  • CIP não faz "finca pé" com descida do IRC

    CIP não faz "finca pé" com descida do IRC

    13 abr, 2024 - 08:02

    O presidente da CIP - Confederação Empresarial de Portugal, Armindo Monteiro, é o convidado desta semana do programa Dúvidas Públicas, da Renascença. O patrão dos patrões não faz “finca pé” com descida do IRC, uma promessa do novo Governo e admite que pode ser substituído por outros apoios às empresas. Nesta entrevista, o presidente da CIP defende ainda a revisão da lei laboral e da TSU e uma imigração programada. Aos partidos pede um "armistício" político.
  • CIP defende “imigração programada” e quer participar no processo

    Dúvidas Públicas

    CIP defende “imigração programada” e quer participar no processo

    12 abr, 2024 - 06:00

    Em entrevista à Renascença, Armindo Monteiro diz que o aumento da natalidade já não é uma solução viável para os próximos 10 ou 20 anos, e "a imigração é a única que vai permitir resolver" a falta de trabalhadores. O presidente da CIP critica a entrada de mão de obra de "baixo valor acrescentado" e defende um processo "programado".
  • CIP defende “imigração programada” e quer participar no processo

    Dúvidas Públicas

    CIP defende “imigração programada” e quer participar no processo

    12 abr, 2024 - 06:00

    Em entrevista à Renascença, Armindo Monteiro diz que o aumento da natalidade já não é uma solução viável para os próximos 10 ou 20 anos, e "a imigração é a única que vai permitir resolver" a falta de trabalhadores. O presidente da CIP critica a entrada de mão de obra de "baixo valor acrescentado" e defende um processo "programado".
  • Entrevista a Rui Nuno Baleiras, coordenador da UTAO

    Entrevista a Rui Nuno Baleiras, coordenador da UTAO

    06 abr, 2024 - 12:01

    O coordenador da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), Rui Nuno Baleiras, é o entrevistado do programa Dúvidas Públicas.
  • Governo "não tem desculpa para não fazer reformas" que acabem com os baixos salários

    Dúvidas Públicas

    Governo "não tem desculpa para não fazer reformas" que acabem com os baixos salários

    06 abr, 2024 - 08:00

    Este é o melhor momento da economia nacional em 50 anos e nem a maioria relativa serve de desculpa ao executivo, que está obrigado a reformar o processo produtivo e a acabar com a política de baixos salários. São avisos do coordenador da UTAO, Rui Nuno Baleiras, que em entrevista à Renascença critica o processo orçamental, que facilita a aprovação de maus orçamentos. O economista denuncia ainda a falta de independência da UTAO e diz que já foi alvo de pressões.
  • "Pode não ser necessário" um Orçamento retificativo

    Dúvidas Públicas

    "Pode não ser necessário" um Orçamento retificativo

    05 abr, 2024 - 06:05

    O coordenador da UTAO explica, em entrevista à Renascença, que o novo Governo pode repor o tempo de serviço dos professores e outras carreiras sem submeter um novo Orçamento à Assembleia da República. Rui Nuno Baleiras denuncia, ainda, que há organismos públicos que recusam dar informações, mas ainda é possível concluir o estudo sobre os custos destas medidas nos primeiros 60 dias do executivo.
  • "Pode não ser necessário" um Orçamento retificativo

    Dúvidas Públicas

    "Pode não ser necessário" um Orçamento retificativo

    05 abr, 2024 - 06:05

    O coordenador da UTAO explica, em entrevista à Renascença, que o novo Governo pode repor o tempo de serviço dos professores e outras carreiras sem submeter um novo Orçamento à Assembleia da República. Rui Nuno Baleiras denuncia, ainda, que há organismos públicos que recusam dar informações, mas ainda é possível concluir o estudo sobre os custos destas medidas nos primeiros 60 dias do executivo.