Siga-nos no Whatsapp
A+ / A-

1938-2022

Morreu Issey Miyake, estilista por trás da famosa gola alta preta de Steve Jobs

09 ago, 2022 - 10:20 • Joana Azevedo Viana com agências

Designer japonês chegou a trabalhar com grandes nomes da moda como Givenchy antes de criar o seu próprio estúdio. Tinha sete anos quando os EUA largaram a bomba atómica sobre Hiroshima, sua terra-natal, um assunto que pouco explorou em entrevistas, sob o argumento de que não queria ser conhecido como "o estilista que sobreviveu". Morreu na passada sexta-feira, aos 84 anos.

A+ / A-

O estilista japonês Issey Miyake, conhecido pelas suas peças de roupa que não amarrotam e pelas famosas golas altas pretas usadas pelo fundador da Apple, Steve Jobs, seu amigo, morreu aos 84 anos.

Miyake sofria de um carcinoma hepatocelular, um tipo de cancro no fígado, e morreu na passada sexta-feira, 5 de agosto, em Tóquio, adiantou esta terça a agência de notícias Kyodo, sem mais detalhes para já.

Nascido em Hiroshima em 1938, o japonês começou por sonhar em ser dançarino ou atleta até começar a ler as revistas de moda da irmã, que inspiraram uma mudança de rumo.

Miyake tinha sete anos e estava na sala de aulas quando a sua cidade-natal foi alvo de um ataque nuclear pelos EUA, uma experiência que preferiu sempre manter privada. Numa rara referência a esse momento histórico, num artigo publicado em 2009 no "New York Times", Miyake destacou que nunca quis ser conhecido como "o estilista que sobreviveu" à bomba atómica.

"Quando fecho os olhos ainda vejo coisas que nunca ninguém deveria experienciar", escreveu nesse artigo, parte de uma campanha para levar o então recém-eleito Presidente dos EUA, Barack Obama, a Hiroshima.

"Tenho tentado, ainda que sem sucesso, esquecer o que vi, optando por pensar em coisas que podem ser criadas, não destruídas, e isso tem-me trazido beleza e alegria. Gravitei em torno do estilismo em parte porque é um formato criativo que é moderno e otimista."

Depois de estudar Design na Universidade de Artes de Tóquio, mudou-se para Paris para se especializar na criação de roupa. Ali, chegou a trabalhar para os famosos estilistas Guy Laroche e Hubert de Givenchy antes de ir viver e trabalhar em Nova Iorque.

Nos anos 1970, voltou à capital japonesa para fundar o Estúdio de Design Miyake. Uma década depois tornou-se mundialmente reconhecido por uma nova técnica de plissagem, que desenvolveu embrulhando camadas de tecido em papel antes de as passar a ferro.

Depois de ter criado mais de uma dúzia de linhas de roupa para homens e mulheres, bem como relógios e perfumes, Miyake retirou-se do estilismo em 1997, passando a dedicar-se à investigação na área.

Em 2016, quando questionado sobre os desafios que jovens designers vão enfrentar no futuro, disse acreditar que as pessoas vão passar a consumir menos.

"É possível que tenhamos de passar por um processo de emagrecimento [do consumo]. Isto é importante. em Paris, chamamos às pessoas que fazem roupa costureiras -- que desenvolvem novas peças de roupa -- mas na verdade é trabalho dos estilistas criar peças que funcionem na vida real."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+