Tempo
|
Autárquicas 2021
34,22%
148Câmaras
13,2%
72Câmaras
10,81%
31Câmaras
8,21%
19Câmaras
5,54%
19Câmaras
4,16%
0Câmaras
2,75%
0Câmaras
1,5%
6Câmaras
1,3%
0Câmaras
14,18%
13Câmaras
  • Freguesias apuradas: 3092 de 3092
  • Abstenção: 46,35%
  • Votos Nulos: 1,58%
  • Votos em Branco: 2,50%

A+ / A-

Haiti. Cáritas Internacional promove campanha de angariação de fundos

16 ago, 2021 - 17:10 • Ana Lisboa

A organização da Igreja Católica está a ajudar a população atingida pelo sismo, ocorrido no último sábado.

A+ / A-

A Cáritas Internacional está a dinamizar uma campanha de angariação de fundos para apoiar a sua congénere do Haiti e ajudar a população atingida pelo sismo de 7,2 na escala de Richter.

Quem quiser contribuir com o seu donativo deve fazê-lo para este sítio.

Há uma procura "absoluta por alimentos, água, barracas, kits de higiene e primeiros socorros", salienta em comunicado o diretor da Cáritas do Haiti, padre Jean-Hervé François.

De acordo com este responsável, "toda a rede da Cáritas do Haiti, especialmente a equipa de emergência, está a participar nas operações de coordenação e ajuda nos três departamentos afetados".

Esses departamentos são de Grande-Anse, na Diocese de Jérémie, Sud, que pertence à Diocese de Les Cayes e Nippes, na Diocese de Anse-à-Veau-Miragoan.

Em Les Cayes, a residência do presidente da Conferência Episcopal do Haiti ficou danificada, refere o mesmo comunicado.

O documento revela que o bispo diocesano "ficou ferido e um padre que morava na residência morreu sob os escombros".

O responsável pela Cáritas do Haiti acrescenta que o "acesso às áreas afetadas é difícil", exemplificando que na área de Martissant, um acesso obrigatório para chegar ao sul do país, "está fechada por motivos de segurança".

Recorde-se que este sismo provocou cerca de mil e trezentos mortos e mais de cinco mil e setecentos feridos, sem falar nos desaparecidos.

O governo declarou o estado de emergência durante um mês.

A Cáritas Internacional assinala que o terramoto "não podia ter acontecido num momento pior" para o país de 11 milhões de habitantes que "vive uma crise política desde que o presidente Jovenel Moïse foi assassinado, a 7 de julho".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+