Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Papa critica os novos “guardiões da verdade” que se fecham no passado

23 jun, 2021 - 10:56 • Aura Miguel

Francisco disse que estes pregadores se reconhecem pela “rigidez” e sustentou que, no Cristianismo, o anúncio da fé “se realiza através da humildade e da fraternidade”.

A+ / A-
Papa critica os novos “guardiões da verdade” que se fecham no passado
Papa critica os novos “guardiões da verdade” que se fecham no passado

O Papa criticou, esta quarta-feira, certos pregadores que usam os novos meios de comunicação e se auto-proclamam “guardiões da verdade”. A denúncia foi feita durante a audiência geral.

Numa reflexão sobre a Carta de São Paulo aos Gálatas, que no seu tempo enfrentavam divisões na comunidade, Francisco afirmou que “não faltam pregadores que, especialmente através dos novos meios de comunicação, podem perturbar as comunidades” e se apresentam, "não para anunciar o Evangelho de Deus que ama o homem em Jesus crucificado e Ressuscitado, mas para reiterar com insistência, como verdadeiros ‘guardiões da verdade’, assim de auto-proclamam, sobre qual é a melhor maneira de ser cristão”.

Criticou os que "afirmam energicamente que o verdadeiro cristianismo é aquele a que estão ligados, frequentemente identificado com certas formas do passado e que a solução para as crises atuais é voltar atrás para não perder a genuinidade da fé”.

Francisco lamentou o facto de, “também hoje, como outrora, existir a tentação de se fechar em algumas certezas adquiridas em tradições passadas”, reflexo da “rigidez e falta de humildade, mansidão e obediência” destes novos pregadores.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+