Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Papa encoraja fim das armas nucleares

20 jan, 2021 - 11:16 • Aura Miguel

Na sexta-feira, entra em vigor o Tratado da Proibição das Armas Nucleares, ratificado por 50 Estados, incluindo o Vaticano.

A+ / A-
Papa. Tratado da Proibição das Armas Nucleares é "avanço da paz da qual a humanidade hoje tanto precisa"
Papa. Tratado da Proibição das Armas Nucleares é "avanço da paz da qual a humanidade hoje tanto precisa"

O Papa Francisco reforçou, nesta quarta-feira de manhã, os seus apelos à paz e à cooperação multilateral para o fim do armamento nuclear.

No final da habitual catequese das quartas-feiras, Francisco assinalou a entrada em vigor, na sexta-feira, do Tratado da Proibição das Armas Nucleares.

“Trata-se do primeiro instrumento internacional juridicamente vinculativo que proíbe explicitamente estas armas, cuja utilização tem um impacto indiscriminado e que atinge rapidamente uma enorme quantidade de pessoas, causando danos no ambiente de longa duração”, afirmou o Papa da “Laudato Si”.

Francisco encorajou, por isso, todos os Estados e todas a pessoas “a trabalhar com determinação para promover as condições necessárias para um mundo sem armas nucleares” e a contribuir “para o avanço da paz e construção da cooperação multilateral, da qual a humanidade hoje tanto precisa”.

O Tratado da Proibição das Armas Nucleares foi assinado em 2017 e já foi ratificado por 50 Estados, incluindo o Vaticano. Entra em vigor no próximo dia 22 de janeiro.

“O objetivo final da eliminação total das armas nucleares torna-se um desafio, mas também um imperativo moral e humanitário”, escreveu o Papa Francisco na Encíclica “Fratelli Tutti”, em outubro.

A Santa Sé ratificou ainda o Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares e o Tratado de Proibição Completa de Testes Nucleares.

São nove os países que hoje detêm armas nucleares: Estados Unidos (EUA), Rússia, Reino Unido, França, República Popular da China (os cinco países membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU), Israel, Índia, Paquistão e Coreia do Norte (República Popular Democrática da Coreia).

Bélgica, Alemanha, Itália, Holanda e a Turquia têm armas nucleares dos EUA no seu território e dezenas de países, como Portugal, pertencem a alianças militares com capacidade e "vocação" nuclear, como a NATO.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+