Tempo
|
A+ / A-

Ministro da Economia não confirma se Estado será único acionista da TAP

04 ago, 2021 - 14:55 • Ana Carrilho João Malheiro

Pedro Siza Vieira reforçou apenas que a companhia aérea é estratégica para o país.

A+ / A-

O ministro da Economia não confirmou, mas também não desmentiu, a notícia avançada esta quarta-feira pelo jornal "Público", segundo a qual o Estado poderá tornar-se no único acionista da TAP, até ao final do ano.

Em declarações à margem d euma conferência organizada pela AHP - Associação da Hotelaria de Portugal, Pedro Siza Vieira reforçou apenas que a companhia aérea "é estratégica para o país".

"A TAP é verdadeiramente uma empresa estratégica para o país. Estamos a discutir com a Comissão Europeia a possibilidade de apoiar a TAP, para que ela mantenha esta visão estratégica. Precisamos de demonstrar que a TAP, depois de reestruturada, continua a ser uma empresa viável", explica.

"Se o aumento ou redução de capital vai ser feito pelo setor público, ou também acompanhado pelos privados, é um detalhe que não disponho", conclui o ministro da Economia, evitando antecipar cenários, incluindo o que foi noticiado durante a manhã desta quarta-feira.

Na conferência de imprensa organizada pela AHP, Pedro Siza Vieira comentou ainda a situação da Groundforce.

O ministro da Economia admite que o caso "é preocupante", porém acredita que está a ser feito o necessário para se resolver o problema.

"Julgo que estão dados os passos certos para conseguirmos resolver de forma estável a situação do handling nos aeroportos portugueses", afirma.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+