Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Costa nega problema com ciganos em Portugal. André Ventura "levou um baile do Quaresma"

07 mai, 2020 - 17:16 • Redação

Primeiro-ministro afirma que Portugal só tem um problema "com pessoas que cumprem ou não cumprem as normas sanitárias" em tempo de pandemia de Covid-19. "O senhor é que já foi de trivela”, disse António Costa ao deputado do Chega, durante o debate quinzenal.

A+ / A-
Veja também:

O deputado André Ventura levou uma “trivela” argumentativa do futebolista Ricardo Quaresma, afirmou esta quinta-feira o primeiro-ministro, António Costa, no debate quinzenal.

André Ventura afirmou na Assembleia da República que Portugal “tem um problema com a comunidade cigana”.

O parlamentar, que defende um plano especial de confinamento para a comunidade cigana em tempo de pandemia de Covid-19, fala num “reiterado incumprimento em várias comunidades do país”.

António Costa começou por negar a existência de problemas com a comunidade cigana em Portugal.

“Nós temos problemas em Portugal com pessoas que cumprem ou não cumprem as normas sanitárias e a resposta que temos de ter com essas pessoas, qual seja a sua etnia, religião, é muito simples: a lei é para cumprir e deve ser aplicada a todos por igual”, afirmou o primeiro-ministro.

Perante a insistência do deputado do Chega, António Costa recuperou a mensagem publicada nas redes sociais pelo futebolista Ricardo Quaresma, que criticou o “populismo racista” de André Ventura

“Não há um problema com a comunidade cigana em Portugal. O senhor deputado é que tem um problema, que já foi de trivela”, atirou o primeiro-ministro.

António Costa acusa Ventura de criar um caso e recorda que a comunidade cigana está há séculos em Portugal e é "tão portuguesa como qualquer um de nós".

"O que o senhor deputado teve foi uma resposta a altura de um grande campeão nacional e um grande jogador da nossa seleção. É ter muito mau perder quando, depois de levar um baile do Quaresma, a única resposta que teve foi dizer que um jogador da seleção devia estar calado. Não. O direito à opinião é uma liberdade de todos", declarou o primeiro-ministro.

Na sua intervenção, a coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, disse a André Ventura que “as ideias racistas” como o confinamento de ciganos “hão de ir parar ao caixote de lixo de onde nunca deviam ter saído”.

“Permita-me que, antes do debate, faça uma nota. Às vezes há uma linha ténue demais entre ignorar para não dar visibilidade à atrocidade ou, pelo silêncio, consenti-la. André Ventura fez uma proposta inqualificável de decidir confinamento de pessoas tendo em conta a sua origem étnica”, afirmou Catarina Martins no arranque da sua intervenção do debate quinzenal.

Na perspetiva da líder bloquista, André Ventura “teve a resposta que devia por um campeão português, Ricardo Quaresma”, tendo de imediato sugerido “que os futebolistas deviam ter direitos limitados à opinião”.

O futebolista Ricardo Quaresma utilizou esta semana a rede social Facebook, para, “como homem cigano”, repudiar o “populismo racista” de André Ventura. O jogador da seleção nacional que joga agora na Turquia ataca o líder do Chega e escreve que "a nossa vida é demasiado preciosa para ouvirmos vozes de burros”.

André Ventura havia defendido um “confinamento específico para a comunidade cigana” em Portugal durante a pandemia de Covid-19. Em entrevista ao jornal "i", o deputado único do Chega sustenta que esta comunidade “se acha acima das leis deste país”, desrespeitando as regras sanitárias e de autoridade pública, o que significa, para Ventura, “um sério problema”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Observador
    09 mai, 2020 Lisboa 12:41
    Isso é mentira oh Carlos Miguel Rodrigues, multiplique esses 3,8% de que fala por 2,5 e já se aproxima da verdade. É que eu trabalho no INE e sei o que digo, você se calhar viu isso num fórum de desinformação manhoso, daqueles que usam truques para manipular informação à vista de todos, e dos que há às dúzias na NET. E depois compare os números de população cigana e não cigana e verá que em percentagem há muito mais ciganos a receber RSI que de outras etnias. Quanto ao resto, Quaresma, André Ventura, etc, as opiniões são como o olho do ... todos têm um. Como alguém já disse os ciganos têm apenas de cumprir as leis que todos nós cumprimos. Os ciganos, e todos os outros. Ponto final.
  • António
    08 mai, 2020 porto 22:37
    Os ciganos têm "apenas" que cumprir a lei como todos os portugueses. Mas nota-se que as autoridades são brandas para com eles talvez por serem isso, ciganos. O Ventura foi eleito por ser contra eles. MAS bastava outros partidos não defenderem tanto essa "pobre" comunidade e os venturas deste mundo não chegariam ao parlamento. É que depois do confinamento dos ciganos, pedem o de outras pessoas. Hitler começou assim.
  • Carlos Miguel Rodrig
    08 mai, 2020 Lisboa 18:21
    Ò cidadão. Dados da Segurança Social: a percentagem de indíviduos de etnia cigana a receber RSI é 3,8%; 96,2% são para os não ciganos. Quanto às tradições, és genérico sobre o quanto e quais violam a lei (típico do demagogo racista). Quanto a máscaras e viseiras, também não vejo muitos não ciganos a não usá-las. Quanto a Quaresma, é um cidadão como tu e merece ser respeitado na qualidade de cidadão. Quanto a André Ventura, não passa de um palhaço ao serviço do ódio e racismo dos ignorantes e frustrados deste país, sem qualquer programa económico ou social para apresentar. Está no parlamento para ladrar.
  • Cidadao
    08 mai, 2020 Lisboa 17:32
    Diga-se em abono da verdade, que o RSI está por conta deles. Diga-se em abono da verdade, que são uma das comunidade que é fiel as suas tradições, mesmo quando elas são ilegais, ou seja, violam a Lei e acham natural. Diga-se em abono da verdade que não se vêem ciganos de máscara/viseira. Diga-se em abono da verdade que Quaresma, era um destruidor de ambiente de balneário e antes de lhe chegar o juízo ou a escassez de contratos, não parava em equipa nenhuma por ser indisciplinado e dar cabo do ambiente - e segundo dizem, de algum mobiliário também. André Ventura não devia ter pedido o confinamento: devia ter pedido o fim dos apoios sem regras, o fim do regabofe de subsídios entregues, apenas e só para manter os ciganos "sossegados".
  • Armando
    08 mai, 2020 Viana do Castelo 14:21
    Não tenho nada contra a comunidade cigana existem bons e maus como em todas as outras comunidades neste momento o importante é estarmos unidos e ultrapassar esta fase das nossas vidas o mais rápido possível, quanto ao Sr. Ventura retóricamente digo ciganos há muitos ...
  • Força, André
    08 mai, 2020 É isso mesmo, André 14:01
    Quando se escreve contra a linha editorial aqui do pasquim, comentários não aparecem não é censores? Força, André
  • Ovar Press
    08 mai, 2020 Ovar 09:06
    Talvez o sr. deputado André Ventura tenha sido infeliz ou pouco explícito como apresentou a questão.... Com efeito, também Ovar esteve confinado, impedido de sair e cercado policialmente durante muito tempo e não vimos nenhum parlamentar dos que agora se sentem ofendidos, vir em defesa de Ovar... Na verdade se há uma comunidade, empresa ou localidade específica (cigana ou outra qualquer) que esteja visivelmente infestada pelo mortal COVID19, ela tem de ser confinada, acautelada e tratada, antes de entrar em atividade que se aproxima rapidamente... Muita da comunidade cigana (que admiramos mais que outras por aí implantadas) vive das feiras e do negócio das roupas e calçado, e se não houver segurança do público que adquire os seus produtos...., os seus negócio correm sério perigo.... Por isso, srs. deputados, vamos lá deixar de demagogias e de rotular as opiniões que podem ser discutíveis mas que também podem ser inteiramente justas...
  • Rui Costa
    07 mai, 2020 Lisboa 22:35
    Se Quaresma fosse político seria assim como um João Jardim, e se André Ventura fosse futubolista seria um Petit (e Petit foi grande), mas Ventura não passaria de um arruaceiro.
  • Marcelo Caetano
    07 mai, 2020 Lisboa 22:24
    António Costa não obstante todas as suas idiossincrasias, todo o seu amor pelo poder, é uma realidade do Portugal multicultural, que faz a nossa riqueza. Não sou fã de A. COSTA, nem sequer das suas políticas, mas tem sido mediano e não medíocre como o senhor André Ventura,
  • John Olli
    07 mai, 2020 Edimburgo 19:59
    As declaracoes do deputado do Chega so servem para centrar a atencao em si mesmo, e para semear odios. Sim, todos sabemos que muitos elementos da comunidade Cigana tem uma atituda pouco ou nada aceitavel, mas o que queremos e que eles, como cidadaos Portugueses, cumpram os mesmos deveres (e subsequentemente, gozem dos mesmos direitos), do resto dos Portugueses. Queremos a comunidade Portuguesa unida sobre o mesmo objetivo, nao que alguem venha trazer tensoes para beneficio pessoal. Este deputado durante a campanha, era da opiniao que os deputados deveriam se-lo em exclusividade, e prometeu que assim o seria se fosse eleito. No entao, ele detem dois empregos de assessoria. Que hipocrisia e esta? Desenganem-se quem achar que ele fara a diferenca. Sera o mais do mesmo, so que a com mais barulho, e menos politicamente correto... mas sem beneficiar o pais. Nos queremos politicos competentes e responsaveis, nao que tragam tempestades.

Destaques V+