Tempo
|
A+ / A-

Vacina Covid-19. Madeira diz que terceira dose é "possibilidade muito forte"

13 ago, 2021 - 17:30 • Pedro Mesquita

A decisão ainda não está tomada, mas em setembro ou outubro, com elevado grau de certeza, a Madeira deverá avançar para a terceira dose, admite o diretor regional Herberto Jesus, em declarações à Renascença.

A+ / A-

Veja também:


O diretor regional de Saúde da Madeira, Herberto Jesus, diz ser muito provável que a região avance com uma terceira dose da vacina contra a Covid-19 para reforçar a imunização das populações mais vulneráveis.

A decisão ainda não está tomada, sublinhou à Renascença Herberto Jesus, mas em setembro ou outubro, com elevado grau de certeza, a Madeira deverá avançar para essa terceira dose.

"Essa é uma possibilidade muito forte. Olhando para a população como um todo, o que é preciso fazer agora urgentemente é cobrir a população toda. Logo que isto acabe - e nós presumimos que acabaremos provavelmente em setembro ou outubro - estamos a pensar seriamente avançar para o chamado reforço das populações vulneráveis. Estão a começar a surgir casos nesses populações, em pessoas com mais comorbilidades, e nessa estratégia de tentar evitar a letalidade, é algo que está em cima da mesa e com um grande grau de certeza. A seguir a esta fase, avançaremos para a terceira dose em populações consideradas vulneráveis", explica Herberto Jesus.

E quando fala de um provável reforço da vacinação contra a Covid-19 nas populações vulneráveis, o diretor regional de Saúde da Madeira lembra à Renascença que não está a pensar unicamente no fator "idade".

"Avançaremos com as populações mais idosas que têm comorbilidades e com outro tipo de populações que têm mais suscetibilidades [de risco], como os imunodeprimidos. Depois avaliaremos consoante a evolução, se teremos outras populações, porque o leque de populações vulneráveis não se limita à idade", afirma.

Para que a Madeira possa avançar com uma terceira dose em setembro ou outubro, não lhe basta decidir: é preciso dispor de uma reserva de vacinas, que ainda não existe.

"Neste momento, as vacinas têm sido alocadas à região numa percentagem de 2,5% do que chega a Portugal como um todo, e essas doses ainda não estão reservadas porque ainda estamos a cobrir a população. Faltam-nos doses para atingirmos os tais 80% ou 90% da população, mas eu penso que logo que se acabe desta fase, o entendimento nacional também irá nesse sentido e, essa altura, Portugal terá as doses necessárias", informou Herberto Jesus.

A região autónoma da Madeira antecipou-se ao continente na obrigatoriedade do uso de máscara nas ruas e também começou a vacinar mais cedo - há mais de 15 dias - a faixa etária entre os 12 e os 15 anos, que só arranca no continente a 21 de Agosto.

A Madeira já vacinou mais de 2.500 adolescentes entre os 12 e os 15 anos e até agora não foi documentada qualquer reação adversa grave.

[notícia corrigida às 18h15 - Madeira recebeu 2,5% e não 12,5% das vacinas destinadas a Portugal]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+