Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Covid-19. Governo dos Açores altera matriz e São Miguel e Terceira passam a baixo risco

06 ago, 2021 - 13:50

Foi também alterado o rácio de casos de Covid-19 que impõe a obrigatoriedade de rastreio à infeção para as viagens interilhas.

A+ / A-

O Conselho de Governo dos Açores alterou a matriz de avaliação da Covid-19 e as ilhas de São Miguel e Terceira entram em baixo risco a partir das 00h00 de segunda-feira, revelou o secretário regional da Saúde, esta sexta-feira.

De acordo com Clélio Meneses, naquelas duas ilhas, os ajuntamentos e ocupação de mesas em cafés ou restaurantes são alargados para oito pessoas, o comércio e a restauração passam a funcionar com um máximo de dois terços da capacidade, encerram às 23h00, e os eventos culturais e desportivos acolhem um terço da lotação.

De acordo com a nova matriz, foi também alterado o rácio de casos de Covid-19 que impõe a obrigatoriedade de rastreio à infeção para as viagens interilhas, "razão pela qual, nos voos a partir da Terceira, deixa de ser obrigatória a realização de teste, bem como o teste ao sexto dia", acrescentou o governante, em conferência de imprensa em Angra do Heroísmo, na Terceira.

O secretário regional da Saúde dos Açores afirmou esta sexta-feira que o executivo ainda nada decidiu sobre vacinar contra a Covid-19 crianças a partir dos 12 anos, porque há "decisões políticas" e essa é, agora, vacinar 70% da população.

"Há decisões que são políticas e não da Comissão de Luta contra a Pandemia [dos Açores]. Em regra, as recomendações [da comissão] têm sido seguidas. Neste caso, não estamos a ir contra. Não estamos a decidir, ainda", disse Clélio Meneses em Angra do Heroísmo, ilha Terceira, em resposta a questões dos jornalistas.

Sobre a demissão do coordenador da comissão, Gustavo Tato Borges, o secretário regional começou por dizer que "a luta contra a pandemia cada vez mais vai tendo contornos que não são os que levaram à necessidade de um acompanhamento mais permanente" e que, "a partir de agora", o combate se faz "sobretudo a partir do processo de vacinação".

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+