Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Covid-19

DGS. Vacinar crianças saudáveis só com prescrição médica

01 ago, 2021 - 20:20

Esclarecimento surge após o Presidente da República dizer que vacinação depende de decisão dos pais.

A+ / A-

“Deve ser dada a possibilidade de acesso à vacinação a qualquer adolescente com 12-15 anos, por indicação médica, de acordo com a calendarização da campanha de vacinação, isto é, respeitando as faixas etárias em vacinação em cada momento”, esclarece a Direção Geral da Saúde, numa resposta enviada à Renascença.

As dúvidas sobre as possibilidades de vacinação das crianças entre os 12 e aos 15 anos aumentaram com as declarações do Presidente da República no Brasil, onde disse que a vacinação nessa faixa etária depende da livre escolha dos pais.

Na sexta-feira, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, tinha feito uma conferência de imprensa em que anunciou que a DGS ainda não recomenda a vacinação das crianças entre os 12 e os 15 anos e que sejam saudáveis, mas em que também admitiu a vacinação dessas crianças mediante parecer médico.

Agora, a DGS reafirma esse entendimento da necessidade de “indicação médica” e de respeitar o calendário do programa de vacinação. “Tratando-se de menores, a vacinação é discutida com os pais ou representantes/tutores legais”, acrescenta a resposta enviada à Renascença, em que são recordadas as principais linhas da comunicação de Graça Freitas.

Nessa ocasião, a diretora-geral da Saúde reiterou a importância da vacinação contra a Covid-19 das pessoas com 16 ou mais anos de idade “para abranger aqueles em que atualmente se verifica o maior número de casos de Covid-19”, como recorda agora a DGS.

“Recomendou a vacinação prioritária contra a Covid-19 dos adolescentes com 12-15 anos com comorbilidades associadas a maior risco de doença grave” e indicou que “emitirá recomendações sobre vacinação universal de adolescentes com 12-15 anos logo que estejam disponíveis dados adicionais sobre a vacinação destas faixas etárias”, reforça a resposta enviada à Renascença.

As questões colocadas pela Renascença sobre quais os termos da “indicação médica” e quais os médicos que a podem dar ficaram, por enquanto, sem resposta.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António dos Santos
    02 ago, 2021 Coimbra 08:54
    Isto só está a acontecer, porque os funcionários de topo da DGS e do INFARMED, são uma corja de incopetentes e irreponsáveis e fundamentalmente a diretora geral da DGS e o presidente do INFARMED. Estão todos nestes lugares, não pelas suas qualidades, mas por interesses duvidosos. Deviam ser todos despedidos e reformuladas estas dus entidades, imediatamente.

Destaques V+