Tempo
|
A+ / A-

“Odete Educa”. A plataforma digital para os mais novos em Odemira

05 jul, 2021 - 12:01 • Rosário Silva

Além das disciplinas escolares, esta plataforma vai disponibilizar aos alunos dos pré-escolar e 1º ciclo, conteúdos diversos no âmbito da Educação para a Cidadania, mas também sobre o território de Odemira.

A+ / A-

Chama-se “Odete Educa”. É o novo projeto do Câmara de Odemira vocacionado para a comunidade local do ensino pré-escolar e 1º ciclo. A nova plataforma digital de aprendizagem tem como função, introduzir o mundo digital nas escolas e promover a igualdade de acesso a uma educação de qualidade.

“Trata-se de um software educativo que irá permitir um salto qualitativo no ensino básico, no âmbito do programa municipal OdeTe – Odemira Território Educativo, num investimento de 30 mil euros”, indica o município em nota enviada à Renascença.

Dirigido aos alunos, educadores, professores e encarregados de educação, “para introdução de novas dinâmicas na sala de aula”, mas também em contexto familiar, o novo projeto pretende promover “conhecimentos, competências e valores” e ajudar “as crianças a desempenhar um papel ativo na comunidade.”

De acordo com a autarquia, a “plataforma está concebida para potenciar a aprendizagem, a cooperação e partilha”, podendo ser acedida a partir de telemóvel, tablet ou computador.

Neste momento, o novo software está disponível para utilização por parte de um grupo de 30 professores. Depois da fase de testes, deverá em entrar em total funcionamento a partir de setembro, logo no início do próximo ano letivo.

As diversas disciplinas escolares, temas no âmbito da Educação para a Cidadania e o território de Odemira, são tópicos para os diferentes conteúdos, considerados “dinâmicos e interativos”.

Os alunos do pré-escolar e 1º ciclo podem também contar, com um mural, uma espécie de rede social e comunitária, para partilha entre a turma e a escola ou agrupamento, e a possibilidade de participar em desafios nacionais.

Segundo o município do distrito de Beja, o projeto surge como complemento à oferta educativa, “no seguimento da aquisição dos 500 computadores e portáteis e 280 routers”, num investimento de 270 mil euros, com financiamento do Alentejo 2020, através do Fundo Social Europeu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+