Tempo
|
A+ / A-

Demolição de construções ilegais em Loures com "alguns tumultos"

21 jun, 2021 - 16:55 • Lusa

Moradores que viram as suas casas demolidas estão a ser acompanhados pela Segurança Social, diz a autarquia, que alerta para a “proliferação de redes de negócio ilegal” com habitações precárias.

A+ / A-

A Câmara Municipal de Loures avançou hoje com demolições de construções ilegais no bairro de Montemor, com o apoio da polícia, verificando-se "alguns tumultos", porque os moradores queixam-se da falta de soluções de habitação.

"Houve 17 casas que receberam na sexta-feira passada uma notificação para, em 24 horas, abandonarem o local", indicou à Lusa a presidente da Habita - Associação pelo direito à habitação e à cidade, Maria João Costa.

Após o aviso de "intimação à demolição e tomada de posse administrativa da construção abarracada", as demolições começaram hoje no bairro de Montemor, em Loures, no distrito de Lisboa.

A Câmara de Loures esclareceu que os moradores que viram hoje as suas casas demolidas estão a ser acompanhados pela Segurança Social e alertou para a “proliferação de redes de negócio ilegal” com habitações precárias.

A Polícia de Segurança Pública (PSP) disse à Lusa que foi montado um policiamento no bairro pelas 9h30, com o envio de meios policiais para o local, "inicialmente os considerados necessários, mas devido a alguns tumultos que depois foram acontecendo foram enviados reforços".

Sem saber indicar quantos polícias estão no local, a PSP referiu que "as demolições são da responsabilidade da Câmara Municipal de Loures e a polícia está lá para garantir a ordem pública".

Por volta das 11h00, foi acionada uma ambulância para prestar cuidados a três moradores, inclusive uma grávida, informou a polícia, explicando que as pessoas tiveram necessidade de ser assistidas "possivelmente pelo estado nervoso, nada que tenha a ver com agressões ou com tumultos".

Pelas 13h30, a PSP continuava ainda no local, sem registar detenções.

Segundo a presidente da associação Habita, o bairro de Montemor ocupa uma antiga fábrica em Loures que já há muitos anos está ocupada por cerca de 100 famílias, "com o conhecimento da Câmara".

No entanto, as demolições estão a ocorrer num terreno livre que foi "ocupado com novas casas neste último ano e meio", indicou Maria João Costa, referindo que os moradores não têm, até ao momento, qualquer resposta de solução habitacional.

Entre os moradores das casas a demolir estão uma idosa, uma grávida e um cidadão em cadeira de rodas, acrescentou a presidente da associação Habita.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Álvaro Costa
    21 jun, 2021 Cercal do alentejo 18:25
    Então ,onde estão as casas de renda social, tão apregoadas por estes senhores,vergonha .mentem ao povo com todos os dentes que teem na bocae são eles comunistas,são os tais que defendem o povo? Os mais desprotegidos

Destaques V+