Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

“O Silêncio tem Voz”. Campanha sensibiliza para violência contra idosos

15 jun, 2021 - 11:00 • Olímpia Mairos

A iniciativa envolve 12 mil alunos de 480 turmas do norte do país.

A+ / A-

“O Silêncio tem Voz” é uma campanha de sensibilização sobre a violência contra as pessoas idosas, cujo Dia Mundial se assinala esta terça-feira.

A campanha decorre até 18 de junho nas escolas do norte do país, envolve 50 Agrupamentos de Escolas, 480 turmas e um universo de 12.000 alunos.

Trata-se de uma iniciativa organizada pela Comissão de Proteção ao Idoso (CPI), Associação Regional do Norte, que conta com a parceria do Município de Guimarães, ao abrigo do protocolo de cooperação institucional - Provedor do Idoso.

De acordo com o presidente da CPI, Carlos Branco, a violência contra a pessoa idosa é reconhecida à escala global como um grave problema de saúde pública e de direitos humanos e que os estudos indicam que os companheiros e os membros da família estão envolvidos na maioria dos casos, sendo apenas de 4% a percentagem dos que apresentam queixa junto das autoridades competentes.

“Qualquer forma de violência contra a pessoa idosa deverá ser sempre encarada como uma ofensa à dignidade humana, impondo-se o dever de reportar tais casos às entidades competentes”, afirma.

Em relação à campanha, Carlos Branco conta que “o objetivo é criar um espaço de reflexão e debate a partir das comunidades educativas, ainda que também em toda a sociedade, sobre a questão da violência contra a pessoa idosa, sendo o lema divulgar, informar participar”.

Para o presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança, a melhor maneira de prevenir a ocorrência de maus tratos a idosos é potenciar os projetos comunitários de caráter social, fazendo com que estes se implementem nas instituições, de forma a sinalizarem as situações que careçam de intervenção.

“É a comunidade, através da proximidade que tem com os idosos, que está em melhores condições de conhecer as necessidades de cada uma das suas áreas geográficas de intervenção no que diz respeito aos idosos”, afirma o autarca, explicando que as carências “podem ser de diversa ordem, desde medicamentos a alimentos, passando pela falta de carinho e afeto que é, por vezes, a maior violência que se pode ter com os idosos”.

No entender de Domingos Bragança, “omitir é também uma forma de exercer violência, insistindo na ideia que que o papel da rede comunitária é fundamental para travar essa violência”.

A campanha de sensibilização contra a violência sobre pessoas idosas dispõe de um sítio na internet onde estão disponíveis conteúdos sobre a violência contra as pessoas idosas, designadamente vídeos temáticos produzidos para a campanha, textos informativos e contos escritos por professores e alunos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+