Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Reabertura faseada das escolas? “É prematuro anunciar qualquer alteração”, diz Costa

11 fev, 2021 - 19:32 • Redação

“Pedia que, neste momento extremamente grave do país, não nos comecemos a concentrar no desconfinamento", apela o primeiro-ministro.

A+ / A-

Veja também:


O primeiro-ministro, António Costa, não se compromete com qualquer previsão para a reabertura faseada das escolas e o regresso ao ensino presencial.

No final do conselho de ministros desta quinta-feira, que discutiu o novo estado de emergência entre 15 de fevereiro e 1 de março, o chefe do Governo foi questionado se as escolas podem reabrir até à Páscoa.

António Costa respondeu que “é prematuro anunciar qualquer alteração” em relação ao setor da educação, que regressou na segunda-feira em formato digital.

“Iniciamos esta semana o ensino a distância e assim nos manteremos. Se vamos poder regressar ao ensino presencial antes ou depois das férias da Páscoa? É prematuro dizer”, afirma.


No decreto de renovação do estado de emergência enviado ao Parlamento, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, propõe a elaboração de um plano de reabertura faseada das escolas.

“Pedia que, neste momento extremamente grave do país, não nos comecemos a concentrar no desconfinamento e nos concentremos em cumprir de forma rigorosa as medidas de confinamento”, apelou o primeiro-ministro.

António Costa sublinha que a Páscoa está fora do horizonte de confinamento equacionado durante o mês de março. “Temos tempo para ver”, afirma.

No entanto, o primeiro-ministro afirma que no Carnaval, na próxima semana, “não haverá festejos” e, “seguramente a Páscoa não será a Páscoa que nós conhecemos”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+