Tempo
|
A+ / A-

Paulo Sande fala de um "grande susto" e aponta cansaço como possível causa do acidente

16 mai, 2019 - 06:37 • Lusa com Redação

Santana Lopes e o cabeça de lista da Aliança às eleições europeias tiveram um acidente de carro na A1.

A+ / A-

O cabeça de lista da Aliança às eleições europeias, Paulo Sande, já saiu dos Hospitais da Universidade de Coimbra, onde deu entrada esta tarde na sequência de um acidente rodoviário, tendo admitido o cansaço como uma possível causa.

Questionado à saída do hospital sobre o que terá provocado o acidente, o candidato a eurodeputado admitiu que possa "ter sido fadiga".

"Hoje levantámo-nos às cinco da manhã nos Açores, e depois o dia inteiro de grande pressão que temos, sobretudo na sequência de muitos dias em que isto está a ser feito, este tipo de vida, este ritmo, esta pressão, acaba por gastar as pessoas, e é normal que tenha havido, é possível, mas não sei", salientou.

"Despistaram tudo o possível e, aparentemente, está tudo bem", afirmou, notando que "no final disto tudo, não passou de um grande susto".

Apesar de o candidato ter tido alta, "Pedro Santana Lopes continua no hospital", uma vez que, segundo Paulo Sande, "está mais dorido", mas o cabeça de lista espera que o líder do partido "também saia ainda hoje".

O líder do partido e o cabeça de lista às europeias sofreram um acidente de viação, na autoestrada 1 (A1), quando seguiam de Coimbra para Cascais, "em ações de campanha", dá conta o partido numa nota enviada esta noite aos jornalistas.

Santana foi helitransportado para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), depois de ter sido desencarcerado do carro pelos bombeiros, enquanto Paulo Sande seguiu de ambulância.

O acidente ocorreu pouco antes das 17h30, ao quilómetro 136 da A1 (no sentido norte-sul).

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+