Tempo
|
A+ / A-

Monkeypox. OMS mantém emergência de saúde pública internacional

15 fev, 2023 - 19:13 • Lusa

Ate esta semana, tinham sido reportados à Organização Mundial da Saúde 85.860 casos e 93 mortes em 110 países.

A+ / A-

A Organização Mundial da Saúde (OMS) decidiu manter a infeção pelo vírus Monkeypox como uma emergência de saúde pública internacional, apesar da redução do número de casos no mundo.

A decisão foi anunciada pelo diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, na videoconferência de imprensa regular da organização em Genebra, na Suíça.

Na sexta-feira passada, o Comité de Emergência da OMS voltou a reunir-se para avaliar a situação e recomendou manter a emergência de saúde pública internacional, declarada em 23 de julho de 2022.

"O comité informou-me que a Monkeypox continua uma emergência de saúde mundial e eu aceitei este parecer", afirmou.

A OMS considera que houve progressos, uma vez que a propagação do vírus diminuiu à escala global, mas não são suficientes para baixar a guarda.

"Mais de 30 países continuam a declarar casos e a possível subnotificação de casos em certas regiões é preocupante, particularmente nos países onde a transmissão do vírus do animal para o homem tinha sido assinalada" anteriormente, alertou o diretor-geral da OMS.

O responsável exortou os países a "manterem a vigilância" e a "integrarem os serviços de prevenção, preparação e intervenção nos programas nacionais de combate, nomeadamente, à infeção pelo vírus VIH/sida e outras infeções sexualmente transmissíveis".

A infeção pelo vírus 'mpox' (antes designado monkeypox) é endémica em certos países da África Ocidental, mas a partir de maio de 2022 esteve na origem de vários surtos na Europa (incluindo Portugal) e nos Estados Unidos.

À data de terça-feira (14 de fevereiro) tinham sido reportados à Organização Mundial da Saúde 85.860 casos e 93 mortes em 110 países.

A doença, que se transmite entre pessoas por contacto físico próximo, manifesta-se por erupções cutâneas (que podem aparecer nos órgãos genitais ou na boca) acompanhadas por, entre outros sintomas, febre, dores de garganta ou inchaço dos gânglios linfáticos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+