Tempo
|
Autárquicas 2021
34,22%
148Câmaras
13,2%
72Câmaras
10,81%
31Câmaras
8,21%
19Câmaras
5,54%
19Câmaras
4,16%
0Câmaras
2,75%
0Câmaras
1,5%
6Câmaras
1,3%
0Câmaras
14,18%
13Câmaras
  • Freguesias apuradas: 3092 de 3092
  • Abstenção: 46,35%
  • Votos Nulos: 1,58%
  • Votos em Branco: 2,50%

A+ / A-

Turquia ergue muro para travar entrada de refugiados afegãos

17 ago, 2021 - 08:27 • Sofia Freitas Moreira com Redação

Prevê-se que com a tomada de poder dos talibãs gere uma nova crise de refugiados. O Alto Representante da União Europeia para a Política Externa agendou uma reunião de emergência para esta terça-feira, para discutir a situação no Afeganistão.

A+ / A-

Para travar um novo fluxo de refugiados, a Turquia anunciou estar a construir um muro ao longo da sua fronteira com o Irão — que faz fronteira com o Afeganistão — para impedir um potencial fluxo de milhares de afegãos que tentam fugir do país.

Prevê-se que com a tomada de poder dos talibãs se gere uma nova crise de refugiados.

O muro terá 295 quilómetros de comprimento e estará fortificado com arame farpado e trincheiras, de acordo com um relatório da agência France-Presse.

“Intensificaremos os nossos trabalhos e vamos reforçar o entendimento de que ‘as nossas fronteiras são intransitáveis’”, disse o ministro da Defesa, Hulusi Akar, citado pela Sky News.

O Alto Representante da União Europeia para a Política Externa agendou uma reunião de emergência para esta terça-feira, para discutir a situação no Afeganistão.

A convocatória da reunião extraordinária de ministros dos Negócios Estrangeiros ocorre numa altura em que muitos Estados-membros procedem a operações de evacuação para repatriar rapidamente os seus diplomatas e cidadãos da capital afegã, tomada no domingo pelas forças talibãs, na sequência de uma campanha militar incrementada desde o passado mês de maio, altura em que os militares norte-americanos começaram a retirada final do país.

Os Estados Unidos anunciaram, na segunda-feira, uma ajuda de 500 milhões de dólares (perto de 425 milhões de euros) para refugiados e migrantes em fuga do Afeganistão, após a tomada do poder pelos talibãs.

Em comunicado, a Casa Branca informou que o Presidente norte-americano, Joe Biden, decidiu usar esse montante, disponível num fundo de emergência, para satisfazer as necessidades "inesperadas" e "urgentes" dos afegãos.

Washington prestará esta assistência a migrantes e refugiados através das suas agências governamentais, como a Agência para o Desenvolvimento Internacional (USAID), e oferecerá parte dos fundos a países que acolham afegãos, bem como a grupos humanitários e organizações internacionais.

Vários líderes mundiais, incluindo o Presidente francês Emmanuel Macron, manifestaram na segunda-feira preocupação com a possível chegada de milhares de requerentes de asilo afegãos à Europa, advertindo que não poderão acolher sozinhos tantos refugiados.

Ruas semi-desertas e helicópteros no céu. As primeiras imagens da tomada de poder dos talibã em Cabul
Ruas semi-desertas e helicópteros no céu. As primeiras imagens da tomada de poder dos talibã em Cabul

Os talibãs conquistaram Cabul no domingo, culminando uma ofensiva iniciada em maio, quando começou a retirada das forças militares norte-americanas e da NATO.

As forças internacionais estavam no país desde 2001, no âmbito da ofensiva liderada pelos Estados Unidos contra o regime extremista (1996-2001), que acolhia no seu território o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, principal responsável pelos atentados terroristas de 11 de Setembro de 2001.

A tomada da capital põe fim a uma presença militar estrangeira de 20 anos no Afeganistão, dos Estados Unidos e dos seus aliados na NATO, incluindo Portugal.

A queda da capital e a fuga do até agora presidente afegão, Ashraf Ghani, no domingo, levaram milhares de civis para o aeroporto de Cabul, na esperança de conseguirem partir em algum dos voos militares que os EUA organizaram para retirar pessoal diplomático.

O desespero levou centenas de afegãos a tentaram fugir, agarrando-se a um avião militar norte-americano, quando este estava prestes a descolar.

Com talibãs no Palácio Presidencial, centenas invadem o aeroporto de Cabul para fugir do país
Com talibãs no Palácio Presidencial, centenas invadem o aeroporto de Cabul para fugir do país
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ivo Pestana
    17 ago, 2021 Funchal 10:45
    Talvez com dinheiro da UE, penso eu de que!

Destaques V+