Tempo
|
Autárquicas 2021
34,22%
148Câmaras
13,2%
72Câmaras
10,81%
31Câmaras
8,21%
19Câmaras
5,54%
19Câmaras
4,16%
0Câmaras
2,75%
0Câmaras
1,5%
6Câmaras
1,3%
0Câmaras
14,18%
13Câmaras
  • Freguesias apuradas: 3092 de 3092
  • Abstenção: 46,35%
  • Votos Nulos: 1,58%
  • Votos em Branco: 2,50%

A+ / A-

​Afeganistão

Talibãs prometem que mulheres vão poder trabalhar e estudar ao abrigo da lei islâmica

17 ago, 2021 - 16:37 • Redação

"Não queremos inimigos internos ou externos", disse o porta-voz do movimento numa conferência de imprensa histórica em Cabul.

A+ / A-

As mulheres vão estar sujeitas à lei islâmica (sharia), mas vão poder trabalhar e estudar, garantiu esta terça-feira o porta-voz dos talibãs. Zabihullah Mujahid assegura que o Afeganistão não vai ser usado como base para ataques terroristas, como aconteceu em 2001.

“Elas vão estar sujeitas aos direitos das mulheres previstos na sharia. Vão trabalhar ombro a ombro ao nosso lado”, disse Zabihullah Mujahid, numa conferência de imprensa realizada em Cabul.

O porta-voz talibã reforça que as mulheres serão "muito ativas" na nova sociedade afegã, "dentro das regras" dos chamados "estudantes de teologia".

Nesta conferência de imprensa histórica após a tomada do poder, Zabihullah Mujahid disse que a nova liderança talibã não quer criar inimigos na comunidade internacional.


Com talibãs no Palácio Presidencial, centenas invadem o aeroporto de Cabul para fugir do país
Com talibãs no Palácio Presidencial, centenas invadem o aeroporto de Cabul para fugir do país

"Não queremos inimigos internos ou externos", disse o porta-voz do movimento que tomou o Afeganistão após duas décadas de intervenção internacional.

"Queremos garantir que o Afeganistão vai deixar de ser um campo de batalha", declarou.

O porta-voz adiantou que os soldados que combateram contra os talibãs vão receber um perdão, assim como outros tradutores para os exércitos estrangeiros no terreno. "A animosidade chegou ao fim", sublinhou Zabihullah Mujahid.

Grupo promete manter a segurança e liberdade de imprensa, com condições

A histórica conferência de imprensa é o pico de uma abertura sem precedentes dos talibãs aos média. E nas várias intervenções públicas, incluindo no Twitter, o grupo tem procurado contrariar os relatos de violência, desaparecimentos, casamentos forçados e mortes que circulam nas redes sociais.

Zabihullah Mujahid começou a conferência por afirmar que o objetivo era parar à porta de Cabul, mas o Governo "incompetente" do Afeganistão fez o grupo avançar para "garantir a segurança".

E nessa promessa de segurança, o porta-voz do grupo disse que a segurança das embaixadas é também "de crucial importância", incluindo a dos Estados Unidos.

Quanto à imprensa, que receia o regresso da censura e da opressão a jornalistas, os talibãs referiram que permitiram uma "imprensa livre e independente", mas fez um "pedido", para que esta "não seja contra os valores islâmicos e, portanto, esses valores devem ser tidos em conta no que toca às atividades dos média".

E, acrescentou Mujahid, "no que toca às diferenças étnicas, a diferenças e hostilidades religiosas, estas não devem ser promovidas pela imprensa".

[Notícia atualizada às 18h01]

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Bruno
    17 ago, 2021 aqui 18:02
    Isso de ter um Estado regulado pela lei Islâmica é muito vago. Tudo depende como se interpreta o Corão. O livro sagrado do Islão tanto promove um espírito de tolerância entre diferentes religiões como logo a seguir diz que os infiéis devem ser liquidados. Cada crente pega nas passagens que lhes dá mais jeito.
  • Cidadao
    17 ago, 2021 Lisboa 16:10
    Atendendo ao historial passado, e àquilo que se diz que já está a acontecer de casamentos forçados, quererem listas de mulheres acima dos 15 anos, etc, duvido um bocado das Boas intenções quanto às mulheres...

Destaques V+