Tempo
|

35,42%
47 Deputados
25,24%
28 Deputados
9,05%
7 Deputados
6,37%
3 Deputados
4%
1 Deputados
3,09%
1 Deputados
1,38%
0 Deputados
1,25%
0 Deputados
1,11%
0 Deputados
5,15%
5 Deputados
  • Freguesias apuradas: 2495 de 3092
  • Abstenção: 45,06%
  • Votos Nulos: 5,44%
  • Votos em Branco: 2,48%

Total esquerda: 57Mandatos
Pan: 1Mandatos
Total direita: 34Mandatos
A+ / A-

Afeganistão

Guterres pede a Conselho de Segurança para usar "todas as ferramentas ao seu dispor" para travar violência

16 ago, 2021 - 17:19 • Hélio Carvalho , com agências

Guterres também sublinhou que a comunidade internacional devia "estar disposta a receber refugiados afegãos e travar quaisquer deportações".

A+ / A-

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres, pediu esta segunda-feira ao Conselho de Segurança que use "todas as ferramentas ao seu dispor" para prevenir ataques aos direitos humanos no Afeganistão.

Guterres também sublinhou que a comunidade internacional deve "estar disposta a receber refugiados afegãos e travar quaisquer deportações".

Em declarações depois de uma reunião de emergência dos 15 membros do Conselho de Segurança, o líder da ONU apelou aos talibãs e a todas as entidades no Afeganistão que procurem "proteger as vidas" dos cidadãos e garantam "que as necessidades humanitárias sejam cumpridas".

Segundo o português, cerca de 18 milhões de pessoas (metade da população do país) necessita de ajuda humanitária.

"A comunidade internacional deve unir-se para se assegurar de que o Afeganistão nunca mais será utilizado como uma plataforma ou um refúgio para organizações terroristas", vincou ainda Guterres.

A reunião de emergência surge um dia depois dos talibãs terem tomado o poder no Afeganistão depois de 20 anos de guerra e de presença americana no país.

O português também disse estar preocupado com as restrições aos direitos das mulheres, alertando para "as violações constantes de direitos humanos contra as mulheres e meninas do Afeganistão, que teme um regresso aos dias negros" da ocupação talibã antes da guerra que começou em 2001.

Com talibãs no Palácio Presidencial, centenas invadem o aeroporto de Cabul para fugir do país
Com talibãs no Palácio Presidencial, centenas invadem o aeroporto de Cabul para fugir do país

Desde que os talibãs tomaram Cabul, a capital afegã, há relatos de mulheres que voltaram a comprar burkas para taparem o rosto e o corpo e crianças que abandonaram a escola, com medo da retaliação conservadora e extremista do grupo.

Acrescentou ainda Guterres que "os próximos dias serão decisivos" e que "o mundo está de olhos postos em nós".

"Não devemos nem podemos abandonar a população do Afeganistão:"

Segundo o "The New York Times", na discussão terá sido discutido o reconhecimento internacional de um governo dos talibãs, que abrira as portas para a entrada do grupo na ONU - apesar de muitos países condenarem o regime brutal dos extremistas islâmicos e porem de parte uma declaração que reconheceria legitimidade à ocupação.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+