Tempo
|
A+ / A-

Sobe para 168 número de mortos em inundações na Alemanha e na Bélgica

17 jul, 2021 - 20:07 • Lusa

O anterior balanço de vítimas das chuvas intensas e das inundações que estão a fustigar parte da Europa Central dava conta de 153 mortes.

A+ / A-
Cheias na Alemanha provocam 103 mortos e 1.300 desaparecidos
Cheias na Alemanha provocam 103 mortos e 1.300 desaparecidos

Pelo menos 168 pessoas morreram na sequência das chuvas torrenciais e das consequentes inundações e enxurradas que afetaram nos últimos dias, sobretudo, a Alemanha e a Bélgica, indicou este sábado um novo balanço das autoridades destes dois países.

O anterior balanço de vítimas das chuvas intensas e das inundações que estão a fustigar parte da Europa Central dava conta de 153 mortes.

O número de vítimas mortais no estado da Renânia-Palatinado (oeste da Alemanha), onde fica o condado de Ahrweiler, um dos mais afetados pelas condições meteorológicas adversas, subiu para 98.

Segundo as autoridades locais, entre as vítimas mortais estão pelo menos 12 residentes de um centro de assistência para pessoas com deficiência.

As autoridades advertem que estes números podem vir a aumentar, uma vez que cerca de 1.300 pessoas no condado de Ahrweiler continuam incontactáveis e dadas como desaparecidas.

Os esforços para estabelecer contacto com estas pessoas estão a ser dificultados por causa dos danos provocados nas redes de comunicação.

A morte de outras 43 pessoas foi igualmente confirmada pelas autoridades do estado vizinho da Renânia do Norte-Vestfália.

Em termos totais, estão contabilizadas 141 vítimas mortais no território alemão.

Regressada de uma viagem a Washington, Estados Unidos, a chanceler alemã, Angela Merkel, vai visitar no domingo a região da Renânia-Palatinado, divulgaram este sábadoAFP), citando um porta-voz do Ministério do Interior do executivo regional, Merkel irá à aldeia de Schuld, local descrito como “mártir”, uma vez que quase tudo na localidade foi destruído pela força das águas.

Merkel já considerou estes acontecimentos como uma “tragédia nacional” e comprometeu-se a aplicar todos os auxílios federais para ajudar na reconstrução.

Já este sábado, o Presidente da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, visitou a cidade de Erftstadt, na região vizinha da Renânia do Norte-Vestfália, onde ocorreu um deslizamento de terra, na sequência das inundações.

Igualmente fustigada por níveis de precipitação e por inundações de contornos históricos, a Bélgica, através do centro nacional de crise, atualizou também o número de vítimas mortais no país, informando que pelo menos 27 pessoas morreram e outras 103 continuam dadas como desaparecidas.

Na Bélgica, o Governo decretou que na próxima terça-feira, dia 20, será dia de luto nacional.

Além da Bélgica e da Alemanha, as fortes chuvas e as consequentes cheias causaram graves danos materiais nos Países Baixos, no Luxemburgo e na Suíça.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+