Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

Reino Unido. Casos a aumentar e cientistas pedem travão ao desconfinamento

16 jul, 2021 - 18:15 • Lusa

País chega ao valor mais alto de casos desde janeiro e especialistas estão preocupados com exageros no desconfinamento.

A+ / A-

Veja também:


O Reino Unido registou 51.870 novos casos, o valor mais alto desde 15 de janeiro, e 49 mortes de Covid-19 nas últimas 24 horas. Cientistas pedem que se reverta desconfinamento.

Na quinta-feira o Reino Unido tinha registado 48.553 novos casos e 63 mortes.

Nos últimos sete dias, entre 10 e 16 de julho, a média diária foi de 40 mortes e 39.714 casos, o que corresponde a uma subida de 57,4% no número de mortes e de 34,9% no número de infeções relativamente aos sete dias anteriores.

A média diária de pessoas hospitalizadas foi de 592 entre 6 e 12 de julho, um aumento de 43,4% face aos sete dias anteriores.

Na quinta-feira estavam internados 3.964 pacientes, dos quais 551 com auxílio de ventilador.

Cientistas pedem que se reverta desconfinamento

Um grupo de cientistas internacionais pedem ao Governo britânico que reverta a decisão de suspender a maioria das últimas restrições à pandemia de Covid-19 em Inglaterra na segunda-feira, alertando para os riscos no Reino Unido e noutros países.

Num comunicado, este grupo de cientistas disse querer "soar o alarme sobre a perigosa resposta do governo britânico ao aumento exponencial das infeções".

O primeiro-ministro, Boris Johnson, confirmou na passada segunda-feira que pretende suspender quase todas as últimas restrições de saúde ainda em vigor devido à pandemia até 19 de julho, incluindo a obrigatoriedade por lei do uso de máscara e distanciamento social.

Determinado em "restaurar as liberdades", o líder do Partido Conservador argumentou que este é o "momento certo" para o fazer, apesar de a variante Delta do coronavírus, mais contagiosa, continuar a fazer subir o número de casos.

"Os ministros foram informados de que este plano provavelmente resultaria em um a dois milhões de casos nas próximas semanas e potencialmente em sete a 10 milhões até o final do ano, e um pico de mais de 100.000 casos por dia ao longo do verão", deploram os cientistas, incluindo os especialistas em saúde pública Walter Ricciardi e Michael Baker, que respetivamente aconselham os governos da Itália e da Nova Zelândia.

Os cientistas alertam para os riscos de "covid longa" em pessoas infetadas e o desenvolvimento de uma nova variante resistente à vacina.

"A estratégia atual de infeção em massa corre o risco de prejudicar os esforços para controlar a pandemia não apenas no Reino Unido, mas também em outros países", alertam, instando o governo a "reconsiderar urgentemente" seu plano.

Desde o início da pandemia, foram notificados 128.642 óbitos de Covid-19 num total de 5.332.371 infeções confirmadas no Reino Unido.

Nas passadas 24 horas foram administradas 263.574 vacinas. Desde dezembro foram inoculadas 46.159.145 pessoas, o que corresponde a 87,6% da população adulta, e 35.543.321 milhões de pessoas, ou 67,5% da população adulta, já tem a vacinação completa.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 4.070.508 mortos em todo o mundo, entre mais de 188,8 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente da agência France-Presse.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+