Tempo
|
A+ / A-

Médio Oriente

Israel vai avançar com mais um colonato na Cisjordânia

23 jun, 2021 - 22:26 • Lusa

Segundo vários órgãos de informação israelitas, o projeto inclui a construção de um centro comercial, uma escola para estudantes com carências especiais e vários projetos de infraestruturas nos colonatos existentes na Cisjordânia.

A+ / A-

As Forças Armadas de Israel divulgaram esta quarta-feira os planos para a construção do 31.º colonato na Cisjordânia, a primeira decisão deste tipo sob a égide do novo Governo.

A decisão, aprovada pela Administração Civil, foi a primeira do género desde que o Governo de Naftali Bennett iniciou funções, no início do mês, colocando um fim à 'era Netanyahu', entre 2009 e 2011, depois de quatro eleições legislativas sem conseguir formar Governo.

A coligação de Bennett é composta por oito partidos e que representam um alargado espetro político, desde as formações ultranacionalistas às mais liberais e ainda um pequeno partido islâmico.

O projeto agora aprovado inclui a construção de um centro comercial, uma escola para estudantes com carências especiais e vários projetos de infraestruturas nos colonatos existentes na Cisjordânia, adiantam vários órgãos de comunicação social israelitas.

Os territórios palestinianos são constituídos por duas zonas separadas geograficamente por Israel: a Cisjordânia - incluindo, teoricamente, Jerusalém Oriental - e a Faixa de Gaza, que deveriam formar um Estado palestiniano coexistindo com o Estado hebreu.

Situada a leste de Israel e a oeste da Jordânia, a Cisjordânia, com 5.655 quilómetros quadrados, está ocupada pelo exército israelita há mais de 50 anos.

A Autoridade Palestiniana exerce poderes limitados em cerca de 40% da Cisjordânia, principalmente os centros urbanos. Israel, que controla todos os acessos, administra 60% do território, além dos seus colonatos.

Patrulhada pelo exército israelita, a Cisjordânia está encerrada a oeste pela barreira de separação que Israel começou a construir em 2002 para impedir os ataques palestinianos.

Cerca de 475.000 israelitas vivem em colonatos considerados ilegais pela lei internacional na Cisjordânia, ao lado de 2,8 milhões de palestinianos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+