Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Dívidas retiram direito de voto ao Irão e à República Centro-Africana na ONU

03 jun, 2021 - 00:05 • Lusa

Artigo 19.º da Carta das Nações Unidas prevê a suspensão do direito de voto na Assembleia Geral para qualquer país cujo montante em atraso seja igual ou superior à contribuição devida nos últimos dois anos completos. São Tomé e Príncipe está entre os países que estão perto do incumprimento.

A+ / A-

O Irão e a República Centro-Africana (RCA) perderam o seu direito de voto na Assembleia Geral das Nações Unidas devido ao excesso de dívidas, estando São Tomé e Príncipe entre os países que correm o risco de ficar em igual situação.

Numa carta enviada ao presidente da Assembleia Geral, Volkan Bozkir, o secretário-geral da ONU, António Guterres, aponta que três países africanos – São Tomé e Príncipe, Comores e Somália - estão com valores em atraso.

No entanto, na missiva citada pela agência noticiosa Associated Press (AP), Guterres assinalou que a Assembleia Geral aprovou uma resolução que permite a estes três Estados votarem na atual sessão, que termina em setembro.

O artigo 19.º da Carta das Nações Unidas prevê a suspensão do direito de voto na Assembleia Geral para qualquer país cujo montante em atraso seja igual ou superior à contribuição devida nos últimos dois anos completos.

O artigo prevê também que a Assembleia Geral possa decidir que “o não pagamento se deva a condições fora do controlo do Estado-membro” e, nesse caso, um país poderá continuar a votar.

Segundo a carta do secretário-geral, os pagamentos mínimos necessários para restabelecer os direitos de voto são de 16.251.298 dólares (13.308.191 euros) para o Irão e 29.395 dólares (24.070 euros) para a RCA, refere a AP.

Já as Comores necessitam de pagar 871.632 dólares (713.779 euros), São Tomé e Príncipe 829.888 dólares (679.595 euros) e a Somália 1.443.640 dólares (1.182.197 euros).

O orçamento operacional anual das Nações Unidas é de aproximadamente 2,65 mil milhões de euros, sendo que as operações de paz têm um orçamento separado que atinge cerca de 5,3 mil milhões de euros.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+