Tempo
|
A+ / A-

EUA

Tiroteio em supermercado no Colorado faz dez mortos

23 mar, 2021 - 06:57 • Sofia Freitas Moreira com agências

Entre as vítimas mortais está o primeiro agente da polícia a chegar ao local do crime. Um suspeito foi detido pelas autoridades, que não avançam com mais pormenores sobre os motivos por trás do ataque.

A+ / A-
Tiroteio faz dez mortos num supermercado no Colorado
Tiroteio faz dez mortos num supermercado no Colorado

Um homem abriu fogo num supermercado em Boulder, Colorado, na segunda-feira, matando dez pessoas, incluindo o primeiro polícia a chegar ao local. O suspeito foi detido pelas autoridades, naquele que é já o segundo tiroteio nos Estado Unidos, no espaço de uma semana.

De acordo com a CNN, a polícia deu poucos detalhes sobre o incidente, não apresentando, para já, motivos para o violento ataque que se desenrolou por volta das 14h30 numa mercearia “King Soopers” em Boulder, uma cidade no centro-norte do estado.

O ataque surge menos de uma semana após o tiroteio da passada terça-feira que fez oito mortos, incluindo seis mulheres asiáticas, em três spas em Atlanta e arredores. Um homem de 21 anos foi acusado.

De acordo com a chefe da Polícia de Boulder, Maris Herold, dez pessoas morreram no ataque. Entre as vítimas está o polícia Eric Talley, de 51 anos de idade, um veterano de 11 anos da força policial de Boulder, que foi o primeiro agente a responder ao tiroteio.

"Ele foi mortalmente atingido por uma bala", disse Maris Herold, saudando "a ação heroica" do agente que era pai de sete filhos.

As restantes nove vítimas já foram identificadas pelas vítimas, com idades entre os 2o

Suspeito foi formalmente acusado de homicídio e está hospitalizado

A polícia avançou esta tarde que o suspeito dos homicídios é Ahmad Al Aliwi Alissa, um homem de 21 anos que morava em Arvada, um subúrbio de Denver localizado a pouco mais de 30 quilómetros de Boulder.

Segundo o procurador-geral de Boulder, Michael Dougherty, o suspeito "viveu grande parte da sua vida nos Estados Unidos".

Imagens de vídeo transmitidas por estações de televisão norte-americanas mostraram um homem, em tronco nu e de boxers, a ser levado para longe da loja algemado, antes de ser colocado numa maca e transportado para uma ambulância. O suspeito parecia ter uma perna ensanguentada e estava a coxear.

O chefe da Polícia de Boulder também confirmou que o suspeito foi ferido numa perna durante a detenção, mas está numa condição estável e deve ser levado para a cadeia ao final do dia.

As autoridades deram entretanto mais detalhes sobre como o tiroteio se desenrolou. O tiroteio começou por volta das 14h30. Testemunhas relatam que fugiram para outros corredores, para fora do supermercado e para trás de carros e edifícios, até a polícia chegar.

O polícia Eric Talley foi o primeiro a chegar e poucos minutos depois chegaram reforços (mas não a tempo de impedir a morte do primeiro agente). Mais nenhum polícia foi ferido durante a detenção.

"Boulder sofreu hoje um terrível e horrível tiroteio em massa", disse o Procurador do Distrito de Boulder, Michael Dougherty, numa conferência de imprensa, ao final da noite.

Imagens partilhadas nas redes sociais mostram dois corpos deitados no parque de estacionamento do supermercado, antes de cortar para um terceiro corpo deitado já no interior da loja, após três tiros serem ouvidos em segundo plano.

O Colorado tem sido palco de alguns dos mais chocantes tiroteios em massa da história moderna dos Estados Unidos.

Em 2012, um jovem entrou num cinema nos subúrbios de Denver, Aurora, durante uma sessão da meia-noite e disparou sobre o público com tiros, matando 12 e ferindo 70.

Em 1999, dois estudantes foram os autores de um tiroteio na Columbine High School perto de Littleton, Colorado, assassinando 12 colegas de turma e um professor, antes de se suicidarem.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+