Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Donald Trump deixa aviso ao Irão após ataque a embaixada dos EUA

24 dez, 2020 - 06:51 • Redação

Embaixada norte-americana no Iraque foi bombardeada. Trump responsabiliza o Irão e promete consequências caso haja mortes nos dias que antecedem o aniversário do assassinato de Qassem Soleimani.

A+ / A-

Donald Trump deixou, esta quinta-feira, um aviso ao Irão, após a embaixada dos Estados Unidos da América no Iraque ter sido atacada.

Em dois "posts" no Twitter, o Presidente dos EUA responsabilizou os iranianos pelo bombardeamento da embaixada e revelou ter ouvido "conversas de ataques adicionais contra americanos no Iraque".

"A nossa embaixada em Bagdad foi atingida por vários mísseis. Três mísseis não foram lançados. Adivinhem de onde eram: Irão. (...) Um conselho amigável de saúde para o Irão: se algum americano for morto, considerarei o Irão responsável. Reflitam", escreveu.

Na Casa Branca, teme-se que as forças iranianas no Iraque possam escalar a violência, nos dias que antecedem o dia 3 de janeiro, aniversário do assassinato, por parte dos EUA, do general iraniano Qassem Soleimani.

Na altura, o líder supremo do Irão prometeu vingar a morte de Soleimani, na sequência de um ataque aéreo que fez oito mortos.

"Uma vingança implacável aguarda os criminosos que encheram as mãos com o seu sangue e o sangue de outros mártires", afirmou então Ali Khamenei, citado pela agência France-Presse.

A resposta foi, de facto, imediata: o Irão lançou "dezenas de mísseis" contra bases militares no Iraque onde se encontram destacados militares norte-americanos e da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos. Contudo, Trump garantiu que não havia feridos.

Entre ameaças mútuas, a tensão esbateu-se, especialmente depois de um avião ucraniano ter sido acidentalmente abatido por dois mísseis iranianos, provocando 176 mortes. No entanto, passado um ano da morte de Soleimani, os EUA temem nova escalada.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+