Tempo
|
A+ / A-

“Sardinhas contra Salvini”. Italianos enchem praças contra políticas de extrema-direita

19 nov, 2019 - 18:42 • Redação

Quatro amigos decidiram convocar compatriotas para movimento de oposição a Matteo Salvini e ao seu partido no âmbito das eleições locais na região de Emilia-Romagna, marcadas para janeiro próximo.

A+ / A-

Mais de 12 mil pessoas aderiram à primeira manifestação do recém-surgido movimento "Sardine contro Salvini". A 14 de novembro, última quinta-feira, o movimento arrancou com um protesto na praça central de Bolonha. A ela seguiram-se protestos noutras cidades, com o próximo já convocado para domingo.

A iniciativa surgiu pela mão de quatro jovens que, através das redes sociais, começaram a chamar os italianos às ruas para contestar a "política de ódio" que consideram estar a ser difundida pela extrema-direita, em particular por Matteo Salvini, na região de Emilia-Romagna, onde irão ocorrer eleições locais em janeiro de 2020.

Salvini tem afirmado, como objetivo para essas eleições, libertar esta região de Itália das forças políticas de esquerda, onde a atual administração é liderada pelo Partido Democrático, numa coligação de centro-esquerda.

Ontem, dia 18, decorreu outra manifestação do mesmo movimento que reuniu cerca de sete mil pessoas numa praça em Modena, enquanto o ex-ministro do Interior realizava ações de campanha nesta cidade do norte de Itália.

As imagens das praças de Bolonha e Modena têm sido muito difundidas nas redes sociais, o que tem levado ao surgimento de iniciativas semelhantes noutras cidades, como Florença ou Benevento, para além da já confirmada para o próximo domingo, em Rimini, onde Salvini estará a inaugurar uma nova sede de campanha do seu partido, Liga.

Até agora, todas as manifestações foram guiadas pela presença de Salvini nas cidades que as acolheram. O objetivo do movimento, segundo o grupo que o idealizou, é ultrapassar o número de apoiantes que o líder da extrema-direita tem atraído aos seus comícios, com a intenção de contrapor a ideia recorrente nos discursos de Salvini de que os habitantes de Emilia-Romagna apoiam o seu partido em peso.

Na primeira iniciativa, o objetivo era garantir a presença de seis mil pessoas, com vista a ultrapassar a capacidade da arena onde decorreu o comício de lançamento da candidatura de Lucia Bergonzoni, da Liga. Acabaram por se juntar à manifestação, na Piazza Maggiore, entre 12 e 15 mil pessoas, que entoaram cânticos de ordem como “Bella Ciao”.

O movimento, que não está associado a nenhuma força política, justifica a escolha do nome “Sardinhas contra Salvini” como uma alusão à expressão “sardinhas enlatadas”, numa analogia com a mobilização de pessoas em massa quer nos protestos quer em comícios políticos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António
    20 nov, 2019 Portugal 10:49
    A RR a continuar a sua campanha contra a Europa! A RR é contra o povo, já pertence à elite também.

Destaques V+