Tempo
|
A+ / A-

Rui Rio contra “hipocrisia, manha e falsidade” na política

27 set, 2019 - 23:57 • , com redação

Líder do PSD não falou esta sexta-feira à noite no caso de Tancos, que tomou a campanha de assalto, mas lançou uma crítica a políticos que não sabem estar.

A+ / A-
Rui Rui diz que não sabe estar na política de forma hipócrita, manhosa e falsa - Reportagem de Paula Caeiro Varela
Rui Rui diz que não sabe estar na política de forma hipócrita, manhosa e falsa - Reportagem de Paula Caeiro Varela

O secretário-geral do PSD, Rui Rio, não falou esta sexta-feira à noite sobre o caso de Tancos, mas disse que não sabe estar na política de forma hipócrita, manhosa e falsa.

À porta, os militantes tiravam selfies com uma fotografia em cartão de Sá Carneiro. Lá dentro, no mesmo cine-teatro onde o fundador do partido fez o primeiro comício na Guarda, o presidente da distrital Carlos Peixoto comparava o antigo e o actual líder do PSD, para atirar ao alvo: António Costa.

“Não era possível, nem com o dr. Sá Carneiro nem com o dr. Rui Rio, assistirmos àquilo a que assistimos ontem no caso de Tancos. Ele [António Costa] é que tem de explicar. Que se deixe de juízos morais, que se deixe e histórias e que venha, de uma vez por todas, dizer aos portugueses se sabia ou não sabia daquilo que se passou. É isso que se exige a um primeiro-ministro.”

Sobre o caso de Tancos, Rui Rio não disse uma palavra, mas uma pergunta da plateia sobre as causas da abstenção lançou o líder social-democrata numa crítica aos políticos que não sabem estar.

“Eu acho que a postura da hipocrisia, do politicamente correto, a postura manhosa… Nós estarmos na política com hipocrisia, manha e falsidade, a dizer apenas aquilo que os outros querem ouvir e que todos sabem que não é verdade, é profundamente descredibilizador”, acusa o líder do PSD.

“Dizer aquilo que penso é arriscado, mas é a única via, mas também se não fosse a única via, é a única que eu sou capaz de fazer bem. Todas as outras eu não sei fazer bem. O politicamente correto, a hipocrisia, eu não sei fazer bem”, salientou.

Sá Carneiro, o exemplo de sempre, e a sua personalidade vincada é aquilo de que Portugal mais precisa, não de política com manha e hipocrisia, acrescentou Rui Rio.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+